Vi na Livraria: Tipos de perturbação, de Lydia Davis | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: Sopa de Lágrimas, de Gilbert Hernandez  3 hábitos musicais de hoje e da minha adolescência  My Little Pony – O Filme: 4 motivos para assistir
Leituras de abril

Vi na Livraria: Tipos de perturbação, de Lydia Davis

Companhia das Letras 19 de agosto de 2013 Aline T.K.M. 6 COMENTÁRIOS


Ali, num display na livraria, esse livro me atraiu especialmente pelo título. Simples assim. “Tipos de perturbação” soa forte, frio e ligeiramente assustador. Na verdade, qualquer título com a palavra perturbação já me é atraente por si só, como um convite à leitura da sinopse – e ao início de um novo desejo consumista.
Num segundo momento, sinopse lida (e também uma ou outra matéria sobre a autora), fiquei instigada e mesmo fascinada por esse passear entre gêneros diversos que o livro apresenta. Confesso que também a própria autora me chamou a atenção, e o fato de ter levado o Man Booker International...

TIPOS DE PERTURBAÇÃO, de Lydia Davis, Companhia das Letras.
SINOPSE: 57 narrativas breves que trafegam na fronteira entre o conto, o ensaio, a poesia e a filosofia. Algumas são relativamente longas, como “A sra. D. e suas empregadas”, um detalhado relatório das domésticas que passaram pela casa de uma escritora de classe média, cada qual com suas características, seus problemas, seus motivos para sair do emprego. Ou como “Helen e Vi: um estudo sobre saúde e vitalidade”, simulacro de ensaio comparativo da trajetória de duas senhoras idosas. Nos interstícios desses textos revelam-se dramas pessoais profundos e fraturas sociais mal disfarçadas.

Em contraste com esses relatos longos, proliferam os textos brevíssimos, não raro de um único parágrafo.

Em todos os casos, o elemento comum, além da maestria técnica da autora, é o desejo de colher os personagens em suas íntimas inseguranças e em seus desajustes com o meio circundante - os “tipos de perturbação” que dão título a um dos contos e ao livro. Surge com mágica nitidez o absurdo da vida cotidiana, a falácia das tentativas lógicas de dar conta da complexidade do mundo humano. Nesse sentido, uma das matrizes mais visíveis da ficção de Lydia Davis é Franz Kafka, não por acaso personagem principal de um dos contos do volume.

A norte-americana Lydia Davis é uma das contistas contemporâneas mais originais e celebradas. Já traduziu Proust e Flaubert, entre outros. Em 2013 ganhou o Man Booker International Prize.

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

6 COMENTÁRIOS

  1. Adorei a abordagem do livro. Adoro as questões relacionadas ao psicológico humano!

    Abraços, Isabela.

    www.universodosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Já li análises empolgantes acerca da obra de Lydia Davis. Ela inclusive esteve na última Flip, e foi bastante elogiada.

    Abraços
    Juan - sempre-lendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, cara, o livro me chamou a atenção de maneira absurda sem eu nem saber do que se tratava direito. Aí fui procurar saber mais sobre a autora e eis que acho um monte de coisa interessante sobre ela, por exemplo, que ela esteve na Flip e que ganhou o Man Booker International. Com certeza se trata de uma escritora que devemos, no mínimo, prestar mais atenção. =)

      Excluir
  3. Já tinha ouvido falar, parece ser realmente interessante. Adorei blog. Seguindo.

    ResponderExcluir
  4. Oi Aline,
    Eu adoro essa sua coluna, mas eu confesso que eu não conseguiria organizar uma assim no meu blog, porque quando eu vou na livraria fico querendo um monte de livros, hahahahaha...
    Pela sinopse parece bem interessante, sendo publicado pela Companhia das Letras dá mais vontade de ler ainda, pois confio muito no taco da editora.
    Se você ler me diz o que achou.
    beijos
    Ademar Júnior
    Cooltural

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou como você, praticamente tudo o que é lançado pela Cia de Letras me interessa. Hahahaha concordo que é difícil fazer essa coluna, mas no fim sempre tem aquele livro que "brilha" mais aos meus olhos na livraria hehehe. Às vezes fica um pouco complicado, tanto que já cheguei a fazer um vi na livraria de um autor ao invés de um livro isolado, daí mostro uns 2 livros de um mesmo escritor (um jeito de dar uma roubadinha aí hehe).

      Excluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros