Depois a Louca Sou Eu: filme baseado no livro de Tati Bernardi traz uma millennial em batalha diária consigo mesma | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: O Peso do Pássaro Morto  Livro: Kafka à Beira-Mar, de Haruki Murakami  Book haul pt.2: livros novos
Semana do Consumidor Amazon | Livros

Depois a Louca Sou Eu: filme baseado no livro de Tati Bernardi traz uma millennial em batalha diária consigo mesma

Cinema brasileiro 25 de fevereiro de 2021 Aline T.K.M. Nenhum comentário

Depois a Louca Sou Eu: filme baseado no livro de Tati Bernardi traz uma millennial em batalha diária consigo mesma

Se eu fosse falar para você assistir a um filme esta semana, eu diria: veja Depois a Louca Sou Eu, e então me diz se não era tudo o que você precisava ver neste momento.

Com direção de Julia Rezende e protagonizado por Débora Falabella, Depois a Louca Sou Eu é uma comédia dramática que conversa diretamente com a geração millennial, que tem a ansiedade como constante “companheira”.

O filme estreou hoje nos cinemas e, de coração, eu recomendo muito!

SINOPSE

Jovem, intensa e autêntica, Dani (Débora Falabella) só queria levar uma vida normal. Mas, desde criança, vive em descompasso com seu mundo. Enquanto conquista a admiração dos outros com o talento que faz dela uma brilhante escritora, ela tenta de todas as formas controlar seus medos e constantes crises de ansiedade.

POR QUE ASSISTIR

Antes de tudo, se você está na faixa dos 30 anos, se prepare para se identificar MUITO com todo o universo desse filme!

Inspirado no livro homônimo da Tati Bernardi, Depois a Louca Sou Eu é um retrato bastante fiel da geração millennial. Ou seja, já não estamos mais falando de “jovens adultos”, mas “adultos, ponto”, embora ainda carreguem consigo a imensa bagagem de inseguranças da juventude. Para piorar, dessa bagagem ainda podem fazer parte relações parentais desmedidas e invalidantes – como é o caso da Dani.

E, claro, tem a ansiedade. Essa presença oportunista, que limita, que descontrola a intensidade de sentir o mundo. Que causa desespero por algo que ainda não aconteceu (e pode ser que nunca acontecer).

Depois a Louca Sou Eu: filme baseado no livro de Tati Bernardi traz uma millennial em batalha diária consigo mesma

Quem já teve pelo menos uma crise de ansiedade, foi constantemente dominado por pensamentos intrusivos, se sentiu deslocado do mundo ao redor ou já teve dificuldade de se manter presente em determinada situação vai se sentir muito abraçado por essa história. Embora traga um tema bem sério, o longa é inevitavelmente engraçado, já que aborda os perrengues rotineiros de muitos millennials. Fala de uma mulher em batalha diária consigo mesma, das terapias, constelações familiares, e o uso descontrolado de remédios – um instrumento de fuga, pequenas doses de felicidade que acabam cobrando seu preço.

A estética pop (com elementos que remetem ao inesquecível Réquiem para um Sonho), a atuação sensacional de Débora Falabella e Yara de Novaes (que interpreta a mãe da Dani) e a alternância entre os momentos cômicos e os tensos fazem de Depois a Louca Sou Eu um filme imperdível. E se você é um millennial, precisa assistir – em maior ou menor grau, estou certa de que vai ser como se olhar num espelho!

Depois a Louca Sou Eu: filme baseado no livro de Tati Bernardi traz uma millennial em batalha diária consigo mesma

Falando de forma mais pessoal, era para ter visto este longa há mais de um ano, na 43ª Mostra Internacional, mas vacilei e acabei não vendo na época; agora sei que assisti na hora certa. Tive momentos epifânicos com o filme: me vi em alguns pensamentos e sensações externalizados pela Dani. Vi sair da boca da protagonista coisas que eu podia jurar que só existiam dentro da minha cabeça, e nem sei descrever o que senti. Foi muito maior do que consigo explicar escrevendo este texto.

Não vou deixar quem eu sou sabotar quem eu quero ser. Dani diz essas palavras em determinado momento do filme, e cara, é ou não é o tipo de coisa para levar para a vida inteira?...

Depois a Louca Sou Eu: filme baseado no livro de Tati Bernardi traz uma millennial em batalha diária consigo mesma

Acho que a esta altura já deu para perceber por que vale tanto a pena conferir o filme! E eu, que já tinha na fila de leitura Você Nunca Mais Vai Ficar Sozinha, da Tati Bernardi, agora com toda a certeza deste mundo incluí Depois a Louca Sou Eu na lista dos desejados.

Além disso, o filme – que teve seu lançamento adiado em quase um ano por causa da pandemia – deu origem à websérie Diário de uma Quarentena, uma espécie de spin-off que mostra Dani em situações do cotidiano enquanto lida com o isolamento social desses tempos de covid. Está disponível no Instagram da Paris Filmes.

Ah, se me permitem indicar um outro livro que também dialoga cara a cara com a geração millennial, leiam Especial, do Ryan O’Connell – que, inclusive, inspirou a série Special da Netflix.

TRAILER E INFOS




Depois a Louca Sou Eu – 86 min.
Brasil | 2019
Direção: Julia Rezende
Roteiro: Gustavo Lipstzein, baseado na obra de Tati Bernardi
Elenco: Débora Falabella, Yara de Novaes, Gustavo Vaz, Duda Batista, Rômulo Arantes Neto, Evandro Mesquita, Cristina Pereira, Débora Lamm, Beatriz Oblasser

Estreia: 25 de fevereiro

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 11 anos e se dedicar a este projeto é uma das coisas que mais ama fazer, além de estar em contato com os mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por cinema, viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Parceiros