Para Sempre [Kim e Krickitt Carpenter] | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
3 motivos para ver Descendentes 2, o novo filme do Disney Channel  Resenha: Civilizações – A Fonte: dois mundos, uma jornada, de Wallace Horta  Making of O Reino Gelado – Fogo e Gelo: com Larissa Manoela, João Guilherme, João Côrtes e Lipe Volpato
Leituras de abril

Para Sempre [Kim e Krickitt Carpenter]

Biografia 2 de maio de 2012 Aline T.K.M. 6 COMENTÁRIOS

Para Sempre fala, acima de tudo, de superação. Por se tratar de uma história real, o livro traz certa carga sentimental e nos faz refletir sobre a importância da motivação perante situações difíceis.

A vida que Kim e Krickitt Carpenter conheciam mudou completamente no dia 24 de novembro de 1993, dois meses após o seu casamento, quando a traseira do seu carro foi atingida por uma caminhonete que transitava em alta velocidade. Um ferimento sério na cabeça deixou Krickitt em coma por várias semanas. Quando finalmente despertou, parte da sua memória estava comprometida e ela não conseguia se lembrar de seu marido. Ela não fazia a menor ideia de quem ele era. Essencialmente, a "Krickitt" com quem Kim havia se casado morreu no acidente, e naquele momento ele precisava reconquistar a mulher que amava.

Como narrador, Kim Carpenter conta sua história de amor com Krickitt, como se conheceram, o casamento, e o acidente que mudou a vida de ambos e suas consequências. Ele descreve suas angústias – derivadas do acidente – e faz com que o leitor perceba a grandiosidade de seu amor pela esposa.

Uma característica da obra que não me agradou foi a ênfase que é dada, constantemente, na religião e na fé em deus. Ainda que estes tenham sido aspectos fortes na história de Kim e Krickitt (e lembrando que tudo é narrado por Kim), a impressão é a de que o texto tenta convencer o leitor de que a fé cristã foi a principal responsável pela sobrevivência e recuperação de Krickitt, e ainda, pela reestruturação da vida do casal. Ou seja, as pessoas que cruzaram o caminho do casal, os ótimos profissionais envolvidos, etc, tudo teria sido “colocado” na vida deles por obra da fé. Um pouco demais, não?

Abri o review falando que esta é uma história de superação. E prefiro continuar nesta perspectiva, digamos, mais realista – ou racional, se preferirem. Acredito que, no lugar das palavras “fé” ou “deus”, caberiam muito bem estas outras palavrinhas mágicas: “determinação”, “força de vontade”, “amor”.

Permitam-me abrir um parêntese:
Ao “julgar” o livro pela capa, o leitor espera encontrar “a história que inspirou o filme” – conforme lemos na própria capa. Não vi o filme, portanto não sei apontar as semelhanças e diferenças em relação ao livro e à história real. O que não se imagina, no entanto, é a abordagem através da qual é contada essa história. Somente ao olhar os dados de catalogação no interior do livro, é que vemos como item número 1: “Biografia cristã”. Informação que a capa e a sinopse não transmitem. Se, por um lado, isto pode servir para “aumentar” o público abrangente, no final, a quantidade de leitores decepcionados também é maior. Leitores que, muito provavelmente, não fazem parte do real público do livro. (Um consumidor insatisfeito sempre tem boa memória.)

Para Sempre não foi uma leitura muito marcante em termos positivos. Mas o texto também não é horrível. Tirando todo o aspecto em torno da religião, é interessante observar a reconstrução da vida do casal. O livro ainda reúne características capazes de fazer com que alguns leitores se emocionem. Contudo, e particularmente falando, Para Sempre não conseguiu me causar grande comoção.

Título: Para Sempre
Título original: The Vow
Autor(a): Kim e Krickitt Carpenter
Editora: Novo Conceito
Edição: 2012
Ano da obra: 2012
Páginas: 144

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

6 COMENTÁRIOS

  1. Sério, ahh o livro me comoveu tanto!! Adorei a história!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu comecei a ler pensando que fosse encontrar um romance. Ao encontrar a biografia do casal, me senti meio... Lesada. Tudo bem que eu não comprei o livro, tudo bem que não gastei absolutamente nada com ele, mas, ainda assim, foi decepcionante.
    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Achei um livro interessante.
    Sou daquelas que pensa assim "não gosto, nem termino...não escrevo sobre".
    Pela sinopse e por passar os olhos por ele já imaginei que seria quase uma biografia o livro então li sem susto, o livro é fino então sem grandes emoções.
    Agora o filme UAU, se você assistir o filme não vai dizer "hei.. mas cadê o livro nessa história?" não tem muita coisa a ver, até escreve resenha de ambos em meu blog.

    ResponderExcluir
  4. Tive uma experiência diferente com o livro, Aline. Eu gostei e achei lindo o modo como foi construída a narrativa e a transmissão, através da escrita, do amor do casal é indescritível. Eles colocaram muito Deus na história, sim, mas isso não me incomodou. Acho que a fé deles é linda, e claro que pode não ter sido isso que salvou Krickitt, e sim a determinação dos médicos, mas mesmo assim gostei dessa parte da fé.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Eu gostei do texto, mas assim... é uma linda história para provar que o amor pode vencer barreiras. Eu vi a história dessa forma.
    Estou querendo ver o filme para ver se é "fiel" ou não...

    ResponderExcluir
  6. Quero muito ler esse livro! Mas ainda não tiver a oportunidade de comprar :( Pelo que li nas sinopses, é uma história que comove o leitor e nos faz refletir acerca de certas situações na nossa vida.
    Beijos, Bia
    garotasediamantes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros