Quando tudo volta [John Corey Whaley] | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme: Um Tio Quase Perfeito  Livros recebidos em abril  Resenha + Sorteio: Quer que eu desenhe? (vol.2)
Leituras de abril

Quando tudo volta [John Corey Whaley]

John Corey Whaley 11 de junho de 2014 Aline T.K.M. 22 COMENTÁRIOS


Sabe aquele tipo de história em que várias vidas sem qualquer conexão aparente entre si se cruzam e passam a afetar umas às outras? Quando tudo volta se encaixa nesse grupo e até poderia ter sido uma boa leitura, mas... Insosso e sem consistência, o livro não chega a ser ruim, muito embora esteja longe de ser considerado bom.

Em Lily, Arkansas, o irmão mais novo de Cullen Witter, Gabriel, desaparece sem deixar rastros. Enquanto isso, a cidadezinha desprovida de grandes perspectivas é agitada pelo suposto ressurgimento de um pássaro há muito tido como extinto. Na reta final da adolescência, Cullen tenta encontrar um sentido para tudo em meio ao caos que toma conta de sua família e de si mesmo.

Do alto de seus dezessete anos, Cullen Witter é quem norteia a narrativa na maior parte do tempo. Tem uma paixão platônica (como tantos outros garotos de sua idade) e costuma devanear com zumbis (como nem tantos outros garotos de sua idade, mas pode ser que eu esteja errada neste ponto).

Se a sinopse faz despertar a curiosidade, os primeiros capítulos tratam de ligeiramente desencorajar o leitor.

A ideia geral até traz alguma originalidade, de certa maneira. Mas são nas particularidades – ou na falta delas – que o autor escorrega. Caberia perfeitamente ali uma real dissecação dos personagens ditos “secundários” (que acabam sendo fundamentais à trama); um mergulho em seus anseios, motivações, dores e dúvidas. Mas, para a infelicidade daqueles que apreciam detalhes e personagens mais desenvolvidos, só lhes é reservada a superfície desses seres cujas vidas se tocam naquela cidadezinha tão sem graça quanto todo o resto. É, não se pode ter tudo na vida...

De desencorajado, no entanto, o leitor passa a experimentar lampejos de interesse lá pela metade do livro. Pelo menos o suficiente para garantir que a leitura seja levada até o fim. Um dos motivos para isso – senão o único – é a estrutura não cronológica da trama: passado e presente se alternam vez ou outra.

Ainda assim, durante todo o tempo permanece a sensação da falta de aprofundamento em relação aos personagens que, como consequência, parecem meio jogados a esmo e acabam não convencendo de todo. Mais ou menos como se lacunas importantes ainda aguardassem um preenchimento, mesmo depois de virada a última página.

Quando tudo volta é um livro difícil de definir, dada a ausência de força e personalidade tanto no geral como em aspectos específicos – os personagens, como dito acima. Não encontrando o “suspense tenso” e o fator inesperado prometidos pelos depoimentos do verso, só nos resta surpreender-nos com os prêmios ganhos, destacados na capa – estes, sim, verdadeiramente inesperados.

LEIA PORQUE...
... você realmente não tem nenhuma outra opção em mãos (o que é bem difícil, mas enfim). Uma leitura sem-sal, somente – e tão somente – para passar o tempo.

DA EXPERIÊNCIA...
Quando a não linearidade temporal é o único atrativo de uma narrativa, pode-se considerar se não teria sido mais interessante ter interrompido a leitura a meio caminho do fim.

FEZ PENSAR EM...
Alguém entendeu qual é a desse livro???


Título: Quando tudo volta
Título original: Where things come back
Autor(a): John Corey Whaley
Tradução: Carolina Caires Coelho
Editora: Novo Conceito
Edição: 2014
Ano da obra: 2011
Páginas: 224
Onde comprar: Fnac | Saraiva | Saraiva (e-book) | Livraria Cultura | Livraria Cultura (e-book) | Amazon (edição Kindle)

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

22 COMENTÁRIOS

  1. Oi, Aline! :)
    É sempre desagradável quando um livro tem até uma sinopse/conteúdo promissor, mas desanda na falta de estrutura do texto e profundidade dos personagens. Ultimamente tenho lido muitos livros assim e quero dar um tempo, sabe?

    Ri com o seu "Faz pensar em...". ^^
    Agora é que não leio mesmo. Vou focar naqueles mais aguardados.

    Bjs ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, nem fala, desanima pegar livro assim, raso demais, que "num fede nem cheira". Para minha sorte, foram poucos os livros assim que peguei esse ano; no geral tenho feito ótimas leituras.
      Hahaha é, foi isso mesmo o que senti no livro... Me perguntei sem parar se alguém realmente captou alguma mensagem ali.

      Excluir
  2. Quando eu terminei de ler o livro eu fiquei sem saber se tinha gostado dele ou não, é estranho o enredo e como as coisas se desenvolvem. Realmente as chamadas engam um pouco, acho que o que valeu pra mim foi como a família seguiu a vida com um desaparecimento.

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até quase a metade eu também estava "sem opinião" em relação ao livro. Depois percebi como achei tudo muito insosso nele. Tanto que eu nem sabia direito o que dizer na resenha; faltou muita coisa nessa história, na minha opinião. Bjs.

      Excluir
  3. Vim correndo ler tua resenha na esperança de teres uma opinião parecida com a minha (tive esse vislumbre em um de teus vídeos), e fico feliz (bem, não que eu fique feliz de alguém também não ter gostado de um livro) que nossas impressões coincidem. "Caberia perfeitamente ali uma real dissecação dos personagens ditos “secundários” (que acabam sendo fundamentais à trama); um mergulho em seus anseios, motivações, dores e dúvidas." Sim, sim, sim, exatamente isso!!! O livro tem tudo pra ser bom, mas parece que o autor não soube aproveitar a ideia que ele teve. Gostei bem mais dos personagens secundários, mas cadê o desdobramento da vida deles? E o desdobramento maior dos principais... Falta de profundidade é a palavra-chave para esse livro. Uma pena, porque a ideia geral foi muito boa. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei a proposta do livro interessante, é verdade, mas explorada de forma tão pobrinha... Há alguns dias li por acaso uma resenha gringa desse livro falando maravilhas; infelizmente não consegui enxergar tudo isso nele. Bjs!!

      Excluir
  4. Acabei gostando desse, mas mais pela ideia de ver acontecimentos aparentemente sem conexão alguma, mas que, de alguma forma, acabam conectados do que pelos personagens mesmo - apesar de ter gostado do protagonista. Mas é difícil de definir mesmo, tanto pra quem gostou, quanto pra quem não curtiu muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ideia da história toda é muito interessante, diferente. Mas achei que o desenrolar da trama deixou tanto a desejar. Não houve, na minha opinião, um mergulho no todo, no universo, nos personagens... Não achei péssimo, mas foi um livro bem indiferente para mim. =/

      Excluir
  5. Oi Aline,
    Esse era um dos inúmeros lançamentos da Novo Conceito que me chamaram atenção, em especial pelo proposto, comentários e tudo mais. Estou com ele na fila desde que chegou, não tinha lido nenhuma resenha até agora. Vi a sua e vim conferir. Não posso dizer que não perdi a empolgação, confio na sua opinião e aprecio seu gosto, acredito que eu possa me decepcionar com a superficialidade dada aos personagens, é um característica que sempre que possível gosto de encontrar nos livros que leio.
    Gostei da resenha sincera. Talvez eu leia, mas não é um prioridade.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, não costumo desencorajar uma leitura, até porque é bom ler e tirar as próprias conclusões, ler resenhas com outros pontos de vista. Mas foi um livro que não me entregou tudo o que eu esperei dele. Pena.

      Excluir
  6. Oi, Aline!

    Eu estou com esse livro aqui para ler mas nem peguei simplesmente porque tive essa sensação de que não era legal. Agora que foi confirmada.... bom, vou passar longe por um bom tempo.

    Um beijo,
    Inara
    www.lerdormircomer.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, olha, num digo para passar longe, apenas não vá com muita sede ao pote! Não curti o livro porque gosto de tramas/personagens mais densos, infelizmente acho que esperei um pouco demais dele. Bjs.

      Excluir
  7. Precisei rir agora com o seu Alguém entendeu qual a deste livro.
    Ia começar a ler ele esta semana mas achei a sinopse meio blá e deixei passar.
    A Novo Conceito deve ter analisado para alguma faixa etária mas eu tenho receio de ler e abandonar e como você odeio isto!


    Beijos

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que o que tinha me atraído no início foi justamente a sinopse, vi nela algum potencial. Mas aí foi só começar o livro e tudo ir meio que por água abaixo. Mas ah, leia sim, de repente você tem outra opinião a respeito.
      Sobre a faixa etária, não sei, ele está classificado como YA e é isso mesmo, mas não curti o desenvolvimento da trama e dos personagens.
      Também detesto abandonar livros, e muito raramente faço isso. Com este fui até o fim, não foi assim péssimo a ponto de largar no meio, mas considerei essa possibilidade. Beijo!

      Excluir
  8. Aline, fico grata em saber que não fui a única que não entendi o livro. A sensação que tive depois ler foi "tá o que vou escrever sobre isso?" gosto de escrever sobre livros, falar deles, é tão frustrante não entender uma obra. Tinha tudo para ser um ótimo livro e não foi.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, fiquei meio sem ter o que escrever sobre ele, porque foi tão sem-sal... E prefiro até ler algo que seja horrível na minha opinião, ou seja, ter uma opinião negativa, do que ficar na área da indiferença, do meio ruim mas não tão péssimo. Foi um livro que não me acrescentou absolutamente nada.

      Excluir
  9. Oi Aline!

    A sua resenha não foi a única que relatou sentimentos confusos quanto a esse livro. Uma pena, porque a sinopse e a capa são interessantíssimas, quase o comprei diversas vezes. Ainda bem que não o fiz.

    Beijos,
    Gabe
    www.sixdoe.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo que a sinopse atrai e parece mesmo interessante, mas o restante não esteve à altura, na minha opinião. Uma pena, pois esperava bem mais do livro.

      Excluir
  10. Pois é boiei um pouco O.o
    Ainda não tinha lido nada sobre o livro, sinopse,resenha... NADA mesmo.

    Mas pelo o que i... Livros assim não me chamam muita atenção, apesar de que quando começo um livro eu nunca abandono.. MESMO que eu demorei meses para acabar (e nesse período leio outros milhares)...
    :3

    Paradise Books
    XOXO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também quase nunca abandono, foram poucos os que deixei de lado. Esse não esteve assim neste ponto de abandonar, fui até o fim, mas até pensei se aquilo valia a pena mesmo, se não era melhor largar de mão. Acabei não largando, mas o resultado ficou mesmo na indiferença. É um livro que não me trouxe nada, efetivamente.

      Excluir
  11. Oi Aline

    (dez anos depois) Eu gostei muito do livro, a escrita do autor, concordo com você em relação aos personagens secundários mas foi uma coisa que fechei os olhos e continuei a leitura, desde o primeiro capítulo me agradou mas o final ficou aquela coisa de "Você Decide" também foi difícil escrever sobre a obra dado que fiquei confuso, mas ai olhei a capa por um tempo, pensei e "ahhh 'Quando Tudo Volta' tá explicado".

    Achei legal a atmosfera melancolica e ao mesmo tempo "nonsense" do autor.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, acho que é aquele tipo de livro que você tem que "comprar" a ideia logo no início, sabe, e isso não aconteceu comigo. Achei a escrita do autor meio repetitiva, a trama não me convenceu e achei o final meio banal demais. A ideia por si só é boa, mas não gostei da maneira como foi trabalhada. =/
      Beijos!

      Excluir

Segue @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros