Resenha: Paciência, de Daniel Clowes | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme Mentes Sombrias: Vale a pena assistir?  Resenha: O Que Alice Esqueceu, de Liane Moriarty  Resenha: Sob Águas Escuras, de Robert Bryndza
Semana do Consumidor Amazon | Livros

Resenha: Paciência, de Daniel Clowes

Daniel Clowes 20 de dezembro de 2017 Aline T.K.M. Nenhum comentário

Resenha da HQ Paciência, de Daniel Clowes, editora Nemo

Desde que descobri e incorporei a ficção científica na minha vida, notei que determinados temas e tipos de enredos me ganham de um jeito muito especial. Por exemplo: realidades e universos múltiplos, e viagens no tempo. Agora, imaginem uma história que une isso tudo a questões mais existenciais...

Qual não foi minha surpresa ao devorar Paciência, de Daniel Clowes – simplesmente uma das HQs mais esperadas pelos leitores em 2017!

Antes de falar sobre minha experiência de leitura, PRECISO comentar essa capa. Vocês não têm noção do nível da paixão explosiva que eu senti quando vi essa HQ ao vivo pela primeira vez na livraria. Olhos brilhando, pupilas dilatadas, faltou só pedir em casamento!

Ou seja, com essa loucura toda deu para perceber que as expectativas para a leitura eram altíssimas. E isto é um troço perigoso, expectativas elevadas. Mas Paciência superou, e muito, tudo aquilo que eu esperava encontrar.

Na realidade, eu ansiava por muito, mas não tinha a menor ideia do que realmente iria encontrar. Foi por opção que eu não quis saber antes sobre a trama nem nada e, olha, foi a melhor decisão que tomei. Justamente por isso não vou abrir muito aqui para vocês. Vou focar mais em por que vocês precisam ler – e, com isso, deixá-los mais curiosos... muahahaha!

Resenha da HQ Paciência, de Daniel Clowes, editora Nemo

Paciência traz a jornada de Jack Barlow através do tempo para impedir o assassinato de sua companheira e amor de sua vida, chamada... Paciência. Ao vislumbrar a possibilidade de voltar ao passado, passa a ter como objetivo reverter o destino trágico de sua amada.

O protagonista, então, nos carrega para o interior de seus conflitos mais profundos. A partir daí, temos acesso ao que há de mais humano nele. Um homem apaixonado, cuja vida parou após perder sua mulher e que desenvolveu uma fixação doentia por encontrar seu assassino. Um cara intenso, mas cheio de características condenáveis – como todo ser humano.

Aliás, todos os personagens aqui são bastante reais. Até mesmo Paciência, que, de início, é vista a partir das lentes idealizadoras de Jack. No entanto, ao ter a chance de voltar no tempo, Jack descobre muito mais sobre ela e é aí que Paciência ganha dimensões mais reais. Ganha também nossa simpatia e empatia – por suas qualidades e também por seus defeitos.

Resenha da HQ Paciência, de Daniel Clowes, editora Nemo

Sarcástico, carregado de suspense e oscilando entre a esperança e o pessimismo – a despeito do colorido vibrante presente em cada página –, Paciência tece críticas e instiga sensações tal qual uma montanha-russa com quedas íngremes, subidas desesperadoras e velocidade alucinante. É tenso assim porque, dependendo de como as ações de Jack Barlow se desenrolam no passado, o futuro pode ser seriamente comprometido.

Também toca nossas emoções e nos convida à reflexão por se tratar de uma história de amor e, acima de tudo, de uma trajetória de autodescoberta.

Resenha da HQ Paciência, de Daniel Clowes, editora Nemo

Já no aspecto visual, além das cores, duas outras características me conquistaram na ilustração de Clowes. A primeira delas é que as pessoas não são bonitas aqui. Nenhuma delas, sem exceção. Nem mesmo Paciência, idealizada pelo olhar de Barlow, ganha traços muito gentis.

A outra característica que chamou minha atenção é a presença de balões com falas cortadas. Este recurso traduz muito bem a vida real, aqueles momentos em que escutamos sem verdadeiramente absorver o que nos estão dizendo. E também reforça a personalidade do protagonista – um homem desesperado, obcecado, impaciente, teimoso.

Resenha da HQ Paciência, de Daniel Clowes, editora Nemo

No fim das contas, a HQ de Daniel Clowes – um dos autores mais aclamados do quadrinho indie americano – arrebata e é daquelas obras que eu recomendo ler, no mínimo, duas vezes. A cada leitura, mais camadas vêm à tona e eis aí uma das delícias dessas obras que considero “relisíveis”.

Em meio a viagens no tempo, cores extravagantes e pessoas esquisitas, uma história de amor imenso, de vingança e de perda. Poucas vezes uma trama tão imaginativa dialoga tanto com a realidade e com o ser humano como o faz Paciência. Magistralmente, devo dizer.

LEIA PORQUE

Imperdível para os fãs de ficção científica e de quadrinhos, Paciência tem trama e visual impecáveis. E vai virar filme, com roteiro assinado pelo próprio Daniel Clowes. Se estou ansiosa?! Imagina...

DA EXPERIÊNCIA

Li Paciência duas vezes, me encantei em ambas. Foi minha porta de entrada para o trabalho do Clowes, de quem pretendo ler tudo quanto for possível.

FEZ PENSAR

Em alguns momentos, e também pela temática, me remeteu ao sensacional Matéria Escura, de Blake Crouch.


Capa da HQ Paciência

Onde comprar: Amazon

Título: Paciência
Título original: Patience
Autor(a): Daniel Clowes
Tradução: Jim Anotsu
Ilustração: Daniel Clowes
Editora: Nemo
Edição: 2017
Ano da obra: 2017
Páginas: 184

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 8 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Editoras Parceiras