13 livros sobre mulheres fortes – parte II | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: Civilizações – A Fonte: dois mundos, uma jornada, de Wallace Horta  Making of O Reino Gelado – Fogo e Gelo: com Larissa Manoela, João Guilherme, João Côrtes e Lipe Volpato  O Reino Gelado – Fogo e Gelo: pré-estreia com Larissa Manoela, João Guilherme, João Côrtes e Lipe Volpato | 3 motivos para ver o filme
Leituras de abril

13 livros sobre mulheres fortes – parte II

Ática 24 de janeiro de 2017 Aline T.K.M. 4 COMENTÁRIOS

Livros com mulheres fortes como protagonistas e personagens

Dando continuidade à primeira parte da lista (se você não conferiu, vem ver!), trouxe hoje mais livros cujas protagonistas são guerreiras, capazes de enfrentar batalhões por seus direitos e que ousam botar para fora o que pensam. Ainda que oprimidas por uma sociedade repleta de preconceitos e desigualdade de gêneros, elas não hesitam em marcar o seu lugar no mundo e se fazer ouvir.

Sei que para fazer jus ao tanto de livros e protagonistas maravilhosas que existem e que dão voz às mulheres, essa minha lista teria de ser infinitamente maior. Só que isso não seria tão viável. Então, aceitem essa seleção composta de duas partes como uma amostra e uma homenagem a tantas obras e personagens (e autores) incríveis que olham de perto e valorizam o sexo feminino.

Fica aí a segunda – e última – parte da lista com 13 livros sobre mulheres fortes!

Livros: A Guardiã da Minha Irmã | Desperdiçando Rima, de Karina Buhr

8. A GUARDIÃ DA MINHA IRMÃ, de Jodi Picoult

Uma jovem que luta pelo direito sobre o próprio corpo; a irmã sendo consumida por uma doença cruel; uma mãe capaz de tudo para salvar a vida da filha. Três mulheres vivendo dilemas e sem outra saída senão enfrentar o desespero.

Aos treze anos, Anna já passou por inúmeras cirurgias, transfusões de sangue e internações, para que sua irmã mais velha, Kate, possa combater a agressiva leucemia que a castiga desde pequena. Concebida por fertilização in vitro para ser uma doadora de medula óssea perfeitamente compatível com a irmã, Anna nunca questionou seu papel, até agora. Anna, que sempre fora definida em função da irmã, toma uma decisão que vai destroçar sua família e trazer consequências fatais para quem ela tanto ama: ciente de que terá de doar um de seus rins para sua irmã, Anna processa os pais para obter emancipação médica e direito sobre o próprio corpo.
ONDE COMPRAR: Livraria da Folha

9. DESPERDIÇANDO RIMA, de Karina Buhr

É poesia, sim, mas não só! A voz que despeja os textos e ilustrações aqui é de uma mulher intensa, que não tem medo de expressar a própria opinião e se fazer ouvir, de abrir o coração e revelar o melhor – e até o pior – dos sentimentos.

O livro de estreia de Karina Buhr traz música, poesia, cartas, recados, bilhetes, crônicas e desenhos, tudo misturado e sem um tema único e limitador. Textos inéditos, material adaptado de suas colunas para a Revista da Cultura e letra de música compõem o livro; uma mistura de prosa e verso que fala de amor, vida e tempo, enquanto olha para dentro de si e para o outro. Nos desenhos, a figura feminina ganha destaque. Além de escritora e ilustradora, Karina Buhr é cantora, compositora, percussionista e atriz, com carreira consolidada na música.
ONDE COMPRAR: Fnac | VEJA A RESENHA

Livros: Só Garotos, de Patti Smith | Depois daquela viagem

10. SÓ GAROTOS, de Patti Smith

Uma mulher de origem humilde que deu a cara a tapa e se infiltrou na cena artística e underground na Nova York do fim da década de 60 para se tornar precursora do punk.

Crescida numa família modesta de Nova Jersey, Patti trabalhou em uma fábrica e entregou seu primeiro filho para adoção, antes de se mandar para Nova York, com 20 anos, um livro de Rimbaud na mala e nada no bolso. Era o final dos anos 1960. Patti morou nas ruas de Manhattan, dividiu comida com um mendigo, trabalhou e dormiu em livrarias e até roubou os colegas de trabalho, enquanto conhecia aspirantes a artistas que partilhavam a atmosfera contestadora do famoso “verão do amor”. E conheceu sua primeira grande paixão: o futuro fotógrafo Robert Mapplethorpe, para quem Patti prometeu escrever este livro, antes que ele morresse de Aids, em 1989. Tendo como pano de fundo sua história de amor com Mapplethorpe e pincelado com imagens raras do acervo de Patti, esta autobiografia é também um retrato apaixonado, lírico e confessional da contracultura americana dos anos 1970, desfiado por uma de suas maiores expoentes vivas.
ONDE COMPRAR: Livraria Cultura

11. DEPOIS DAQUELA VIAGEM, de Valéria Piassa Polizzi

Uma mulher cujo relato marcou a adolescência de muita gente. Uma jovem que teve sua vida virada do avesso e precisou aprender cedo a vencer a barreira do medo e do preconceito por ser soropositiva.

Valéria relata com bom humor e descontração as farras com a turma de amigos, a dúvida entre "ficar" ou namorar, o despertar da sexualidade, a angústia diante do vestibular e muitas coisas que atormentam qualquer adolescente. Tudo isso seria perfeitamente natural se não fosse por um pequeno detalhe que iria fazer uma enorme diferença: Valéria contraiu Aids de seu namorado, aos 16 anos. De repente, por causa de quatro letrinhas, sua vida passou por uma reavaliação radical. Ela expõe, sem meias palavras, o que mudou em sua vida, como a doença mexeu com sua cabeça e com os seus sentimentos, e a resolução de preservar sua condição de ser humano a qualquer custo.
ONDE COMPRAR: Livraria da Folha

Livros: Orgulho e Preconceito, de Jane Austen | As Brumas de Avalon

12. ORGULHO E PRECONCEITO, de Jane Austen

Uma mulher audaciosa, com a mente à frente de seu tempo e sem medo de expor a própria opinião – ainda que desagrade à sociedade e à hierarquia da época.

Elizabeth Bennet (Lizzy) vive com sua família na Inglaterra rural do início do século XIX. Tanto ela como suas quatro irmãs são solteiras. Quando o sr. Bingley e o sr. Darcy, dois jovens distintos, chegam a Hert¬fordshire, todas ficam em alerta: eles são solteiros, bonitos e, claro, donos de uma boa fortuna. Enquanto o sr. Bingley é visto com bons olhos por todos, o sr. Darcy, por seu jeito frio, é mal falado. Lizzy desgosta imensamente dele, por ele ter ferido seu orgulho na primeira vez em que se encontram. Entretanto, Darcy se encanta por Lizzy, sem que ela saiba do fato. A partir daí, acompanhamos o relacionamento entre eles e os que os rodeiam, enquanto mergulhamos na sociedade da época. Nesta que é considerada a sua obra-prima, Jane Austen desafiou as convenções sociais ao criticá-las pelas entrelinhas, pontuando seus livros com toques de humor e ironia.
ONDE COMPRAR: Saraiva | Saraiva (outra edição)

13. AS BRUMAS DE AVALON (SÉRIE EM 4 LIVROS), de Marion Zimmer Bradley

Mulheres sábias, instrumentos do sagrado e do divino, que contam sua versão de história há muito dominada pelos homens – história na qual exerceram papel fundamental.

A lenda do rei Artur é contada pela primeira vez através das vidas, das visões e da percepção das mulheres que nela tiveram um papel central. Pela primeira vez, o mundo arturiano de Avalon e Camelot, com todas as suas paixões e aventuras, é revelado por suas heroínas – pela rainha Guinevere (ou Gwenhwyfar), mulher de Artur; por Igraine, mãe de Artur; por Viviane, a impressionante Senhora do Lago, Grande Sacerdotisa de Avalon; e principalmente pela irmã de Artur, Morgana, também conhecida como Morgana das Fadas, a feiticeira, que desempenha um papel crucial na coroação e na destruição de Artur. Dividida em 4 livros, a aclamada série relata a história de um profundo conflito entre o cristianismo e a velha religião de Avalon.
ONDE COMPRAR: Submarino (todos os livros) | VEJA AS RESENHAS

*******

E a lista chegou ao fim! Confesso que foi difícil restringi-la a 13 livros – deixei muita coisa incrível de fora. Mas me contem: vocês já leram algum deles? E que outros livros com mulheres fortes adicionariam à lista?

LEIA TAMBÉM

13 livros sobre mulheres fortes – parte I

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

4 COMENTÁRIOS

  1. Amei as indicações!
    Só conhecia As brumas de Avalon e Orgulho e preconceito.

    Bjs,
    EU SOU UM POUCO DE CADA LIVRO QUE LI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As Brumas de Avalon é inesquecível! Confesso que ainda preciso ler Orgulho e Preconceito - conheço a história e há um tempão tô querendo me aventurar nas obras da Jane Austen. Bj!

      Excluir
  2. Oi, Aline! Só Garotos está entre as minhas metas de leitura desse ano. Depois que li Linha M fiquei louca para ler mais coisas da Patti Smith. Tenho muita curiosidade em relação à série As Brumas de Avalon. Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!! Olha, vale muitooo a pena ler As Brumas de Avalon, a série é linda demais, as personagens são complexas, uma grande obra-prima. <3 E eu estou querendo muito ler os livros da Patti Smith - li alguns trechos e também resenhas e amei. Rsrs não consigo olhar para ela e não cantarolar internamente "because the night..."! Beijos!

      Excluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros