O Sal da Vida [Françoise Héritier] | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme: Um Tio Quase Perfeito  Livros recebidos em abril  Resenha + Sorteio: Quer que eu desenhe? (vol.2)
Leituras de abril

O Sal da Vida [Françoise Héritier]

À la française 21 de julho de 2014 Aline T.K.M. 8 COMENTÁRIOS


"Num belo dia de verão, se assim posso dizer, pois fazia um mau tempo, recebi um cartão-postal da Escócia. Alguém de quem gosto demais, o professor Jean-Charles Piette, “Monsieur Piette”, como eu o chamo intimamente, mandava-me algumas palavras da ilha de Skye. O cartão começava assim: ‘Uma semana roubada de férias na Escócia.’"

Assim começa O Sal da Vida, best-seller da antropóloga francesa Françoise Héritier. Porque a palavra “roubada” lhe salta diante dos olhos, a autora tece uma carta-resposta explicando ao amigo que, ao contrário de “roubar” suas férias, é sua própria vida o que ele rouba todos os dias. Ao se entregar exaustivamente ao trabalho, Monsieur Piette tira de si mesmo o tempo de desfrutar das pequenas coisas prazerosas da vida – ainda que o trabalho lhe seja também uma fonte de prazer.

Segue-se então uma longa lista em forma de monólogo – com duração de vários dias, inclusive –, em que a autora enumera pequenas coisas que conferem graça e leveza à vida, celebrando o existir, pura e simplesmente. Atos, acontecimentos e sentimentos diminutos que são parte do cotidiano e que, tantas vezes, não aguçamos os sentidos para percebê-los ou simplesmente não nos damos tempo de aproveitá-los de forma plena. Coisinhas que dão o tempero, o sal da vida. Que fazem toda a diferença.

Ao nos colocarmos no lugar do destinatário dessa resposta, tão simples e direta, percebemos uma verdade incontestável: o equilíbrio é o grande segredo da felicidade. Ou, pelo menos, um deles. E é com tantas coisas em tão poucas páginas que a autora nos conta isso.

Apesar da mensagem universal, O Sal da Vida pode ter um sentido particular a cada leitor. Em todos e em cada um dos casos, o livro é uma lufada de frescor. É também, e principalmente, uma intimação a repensar a maneira – e o ritmo – como temos levado nossos dias.

LEIA PORQUE...
Com uma mensagem superpositiva, o livro fala de pequenos prazeres cotidianos e, como diz na capa, do que faz a vida valer a pena. E importante: sem ser um livro de autoajudanada contra, mas eu não curto.

DA EXPERIÊNCIA...
Para ler numa “sentada” só e terminar as 108 páginas enxergando a vida de outra maneira. Pode não operar milagres, mas dá um colorido especial ao dia.

FEZ PENSAR EM...
Sabe os pequenos prazeres da Amélie Poulain? Então, algo mais ou menos por aí...


Título: O Sal da Vida
Título original: Le Sel de la Vie
Autor(a): Françoise Héritier
Tradução: Maria Alice A. de Sampaio Dória
Editora: Valentina
Edição: 2013
Ano da obra: 2012
Páginas: 108
Onde comprar: Saraiva | Fnac | Submarino

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

8 COMENTÁRIOS

  1. Oi Aline, tudo bem?

    Estava ansiosa por essa resenha :)
    Acho"corriqueiro" esse tipo de tema, mas ainda assim gosto demais de livros com esse tipo de mensagem. Nós estamos cansados de saber que equilíbrio é a palavra chave, mas ainda assim complicamos demais as coisas.
    Vou gostar desse livro!

    Beijos,

    Pah - Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, o tema é corriqueiro e não traz novidade logo de cara, mas a forma com que esse livro é escrita é diferente, sei lá, especial. Você lê e se sente inspirada. =)

      Excluir
  2. Muito bom!!
    A vida deve ser vivida de forma útil, transformadora e conservadora, esse é o significado do sal.

    Beijos!
    http://fabi-expressoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ah é um livro bem gostosinho eu adorei ler <3

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! Daqueles que a gente lê bem rapidinho, também gostei bastante. ^^

      Excluir
  4. Que capa linda! *__*

    Amei a resenha, Aline. Engraçado que estava pensando sobre isso esses dias. A modernidade está levando as pessoas a fazerem mil coisas ao tempo e deixando de lado as relações sociais, o lazer ou até mesmo um tempinho pra si mesmo.
    Harmonia e simplicidade são fundamentais na balança do equilíbrio! :D

    Bjs ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, a capa é lindinha. A mensagem do livro também; ao invés de simplesmente explicar essa questão da correria, do desligamento em relação aos detalhes e às coisas simples da vida, a autora dá exemplos simpáticos, verdadeiros e com os quais a gente se identifica. Vale a pena ler!

      Excluir

Segue @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros