Morte Súbita [J.K. Rowling] | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Leituras mais recentes – parte 1: thrillers e Meus 15 Anos  3 motivos para ver Descendentes 2, o novo filme do Disney Channel  Resenha: Civilizações – A Fonte: dois mundos, uma jornada, de Wallace Horta
Leituras de abril

Morte Súbita [J.K. Rowling]

J.K. Rowling 6 de setembro de 2013 Aline T.K.M. 13 COMENTÁRIOS


“Coisas negadas, coisas não ditas, coisas escondidas e disfarçadas.”

A cidade de Pagford não é o que parece à primeira vista. A morte súbita de Barry Fairbrother, membro do Conselho Distrital, abala a vida da cidade e a de seus habitantes, como peças de um dominó que começam a tombar, uma seguida da outra, em consequência da queda da primeira peça. Pagford entra em estado de choque e o lugar que Barry deixou torna-se o catalisador de uma complexa guerra. Fields, um vilarejo detestado por suas carências, sofre o desprezo de Pagford mais do que nunca.

Um tal "fantasma" posta mensagens nada agradáveis no site do Conselho Distrital. Segredos explodem e se multiplicam. No final, quem sairá vencedor desta luta travada com tanto ardor, duplicidade e revelações inesperadas?


Como um daqueles filmes em que cada movimento dos personagens exerce impacto mútuo, Rowling apresenta um enredo minucioso, pontuado por ações e reações.

A podridão humana está presente em cada um dos habitantes da pacata Pagford e da indesejada Fields; mesmo os mais jovens têm sua inocência extinguida, já carregam consigo sentimentos de vingança, intolerância enraizada e a atitude de um estado de guerra permanente.

Morto nas páginas iniciais, Barry continua a influenciar toda a trama até o final, como a onipresença de um fantasma que paira – literalmente – sobre a cidade, em cada esquina e dentro de cada uma das casas.

Invariavelmente, a parte mais fraca é a que mais sofre com as consequências dos impasses e da disputa pelo poder, utilizado sobretudo a favor dos interesses pessoais de quem o possui. Fields estampa abertamente toda a putrefação moral que Pagford possui em seu interior, e que tenta a todo custo mascarar. Como que “perdida no tempo”, esta última se apoia em preconceitos arcaicos e em um falso moralismo; falar em tradições pagfordianas é mero pretexto.

A narrativa é tão impiedosa como a trama; dispensando gentilezas ao revelar um ser humano egoísta e de mente tendenciosa, a autora caracteriza as camadas sociais e seus integrantes a partir de ângulos múltiplos. Da essência dos personagens o leitor deve esperar o que de mais asqueroso pode haver. E quando achar que já alcançou o limite, ainda há mais imundície e desesperança, desdobradas em um texto impossível de largar.

Tão inevitável e cruel como o tombo dos indefesos, é a certeza de que as ações egoístas têm as consequências mais devastadoras. Apenas ninguém imaginava o quão devastadoras elas seriam.

LEIA PORQUE...
A narrativa deliciosa de Rowling em tema adulto torna esta uma leitura praticamente obrigatória. Conferir vida aos personagens (inclusive ao falecido Fairbrother) é uma habilidade inquestionável da autora, agora mais do que nunca.

DA EXPERIÊNCIA...
De tema delicado, a trama cutuca onde incomoda, além de penetrar fundo no interior – bastante sombrio – dos personagens, dissecando-os. Drogas, promiscuidade, bullying, violência doméstica, negligência. Uma leitura para pensar, durante e depois.

FEZ PENSAR EM...
Sabe a teoria do iceberg? O que está sob a superfície costuma ser maior e mais assustador do que imaginamos. Aplicável a tudo na vida.

Título: Morte Súbita
Título original: The Casual Vacancy
Autor(a): J.K. Rowling
Editora: Nova Fronteira
Edição: 2012
Ano da obra: 2012
Páginas: 504

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

13 COMENTÁRIOS

  1. JK mais uma vez mostrou a sua capacidade de criação e o seu dom com as palavras. Um livro realmente impactante e marcante! A história mostra o ser humano no seu íntimo, com o seu lado cruel, sem panos, sem máscaras! Ótima dica!

    Abraços, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isabela, seu comentário foi um resumo perfeito do que o livro foi para mim. Gosto (e prefiro) livros que retratem o ser humano dessa maneira, sem máscaras e deixando à mostra seu lado mais sombrio e impiedoso.

      Excluir
  2. Está na minha lista desde que lançou, mas são tantos livros na lista que não consegui ainda.

    Beijos,
    Carissa
    www.carissavieira.com

    ResponderExcluir
  3. Arrasou!
    Acabei de comprar esse livro e depois da resenha, tive mais vontade de ler!
    Amei
    Beijos!
    Rizia - Livroterapias - Promoção Marcadores Personalizados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal que comprou o livro, Rízia. Leia logo, logo, é um livro excelente e com o qual é impossível ficar indiferente. Beijo!

      Excluir
  4. Eu terminei a leitura do livro ontem e concordo com a sua resenha. É um livro muito bom, real e honesto. Eu não esperava aquele final e acabei ficando com o coração partido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O final me pegou totalmente de surpresa. Não esperava e, ao mesmo tempo, só podia ser algo do tipo, se você parar para pensar. Muito bom, um livro e tanto, não me canso de repetir.

      Excluir
  5. Não briguei comigo, mas não gostei do livro :/
    Li até a metade para tirar algumas dúvidas, mas não foi até o final, nossa, foi meio decepcionante pra mim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe Helana que não é a primeira vez que vejo que esse livro não agradou. Mas é justamente isso que acho interessante ao resenharmos e trocarmos ideias: conhecer a opinião alheia, as diferenças de percepção das histórias. Eu achei o livro animal, mas gosto, por exemplo, de ler resenhas de quem não tenha gostado, até para compreender um ponto de vista diferente do meu.

      Excluir
  6. Não tenho a minima vontade de ler esse livro, para mim parece uma confusão de ideias e personagens que ela não conseguiu organizar. Claro que me baseio em resenhas, mas não quero ter a minha opinião, não sobre esse livro.

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise, esse é um livro com opiniões bem divididas, isso é verdade. E é verdade também que a história é composta de muitos personagens. Eu achei tanto os personagens como o próprio enredo sensacionais. É um livro bem marcante e por isso acredito que a opiniões se dividam tanto. Pena que não tenha interesse no livro. Mas concordo que quando a gente não se interessa, não vale a pena ir atrás, melhor usar o tempo para ler algo que nos agrade, no fim das contas. Beijo!

      Excluir
  7. será que vale a pena?
    se a idéia deste livro era se distanciar do universo de HP a empreitada não foi bem sucedida// 90% das pessoas que compraram já eram leitores do bruxinho e não ouvi ninguém falando bem do livro - nem pessoas que gostam de livros adultos e pesados o procurando; esta resenha é a primeira positiva que vejo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez justamente porque grande parte dos leitores de HP não se identifiquem com o tipo de enredo de Morte Súbita, com uma história sem herói ou algum personagem com quem se identificar, por quem torcer. E quem não é fã de HP e que curte temas adultos, talvez não busque o livro por puro preconceito, porque Rowling ficou muito vinculada ao HP.
      Não sei... Também li pouquíssimas resenhas positivas sobre o livro, sabe. Mas, sinceramente, eu gostei bastante, muito mesmo, principalmente pela falta de piedade com os personagens. Então sou suspeita para dizer se vale a pena. Em todo caso, na minha opinião, vale sim! =)

      Excluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros