Leituras com trilha sonora oficial | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: Sopa de Lágrimas, de Gilbert Hernandez  3 hábitos musicais de hoje e da minha adolescência  My Little Pony – O Filme: 4 motivos para assistir
Leituras de abril

Leituras com trilha sonora oficial

À la française 15 de janeiro de 2013 Aline T.K.M. 16 COMENTÁRIOS

Inspirada pelo Top 10 Soundtracks postado pela Jacqueline (do blog Confissões de uma Viciada), vim aqui falar de leituras com trilha sonora.

Sabe aquele musical pelo qual você tem paixão? Aliás, quem ama musicais sabe que é bem mais que paixão, é praticamente um vício! Ou então aquele livro que você tem vontade de ler há tempos e não sabia que ele tinha trilha sonora oficial. Fique sabendo: ele tem, sim!

Então, fica um convite para ler seu musical preferido! E depois correr para escutar a trilha sonora. Ou melhor, intercalar os capítulos com as músicas. Parece divertido, não? Mas se não conhecerem algum desses musicais, procurem vê-los já e leiam (ou releiam) o livro. Sem esquecer a trilha sonora para dar um up nessa experiência!
Algumas sugestões:

FOOTLOOSE, de Rudy Josephs, edição da Galera Record, 2011.

O romance narra a saga do jovem Ren, que ao se mudar de Boston para uma pequena cidade no interior dos Estados Unidos, enfrenta um intenso choque cultural. E não é só porque a cidadezinha tem apenas um sinal de trânsito. Em Bomont, a diversão é proibida - nada de ficar fora de casa até tarde; festas, sem chance; o rock é banido e simplesmente esqueça sair para dançar. Agora Ren está engajado em uma causa simples – fazer com que todos possam se divertir. Mas não há nada de simples nisso. A população, ou melhor, os adultos não só aceitam as regras extremamente rigorosas como parecem aprovar a intervenção da igreja nos assuntos de Estado. Assim, é difícil vislumbrar uma saída, e o novato na cidade não consegue entender por que tais medidas existem. Em meio a tudo isso, o sentimento dos adolescentes é o de que a juventude está passando sem grandes emoções. Daqueles que não desistem com facilidade, Ren desafia a ordem local enquanto luta para chamar a atenção de Ariel, a bela e atraente filha do reverendo Shaw. Só que a menininha do pastor tem um lado rebelde ou, digamos, indomável.
Será que ele é capaz de conquistar o coração dela e, em paralelo, ainda ganhar o apoio da população de Bomont para a sua causa? Ou essa cidade está tão apegada ao modo como vive para que alguém balance seus costumes?






Eu ainda não assisti ao remake, mas confesso ser fã do original de 1984 (estrelado por Kevin Bacon e Lori Singer), cuja trilha sonora considero imperdível para quem curte trash oitentista e, claro, para amantes de musicais. O filme também foi levado aos palcos da Broadway. O livro, porém, trata-se de uma adaptação do roteiro da refilmagem de 2011, dirigida por Craig Brewer. Apesar de não ter tido uma experiência agradável com livro adaptado de filme (vide Branca de Neve e o Caçador), gostaria de ler Footloose por já conhecer e gostar muito da história. E, falando sério, não tem como não pensar em Footloose sem começar a se mexer no ritmo de “...everybody cut footloose”! Romance dançante – tem como incluir esse gênero na literatura?!
Achei esse vídeo bacaninha porque ele mescla as duas versões:




MALIGNA, de Gregory Maguire, edição da Ediouro, 2007.

Nunca mais enxergaremos a terra de Oz com os mesmos olhos. O direito de resposta da maléfica Bruxa do Oeste sobre a história que encanta o mundo há gerações, finalmente foi concedido.
Uma nova versão, um ponto de vista oposto, que levará o leitor a rever suas crenças sobre o bem e o mal.
O livro traz a história da garota verde chamada Elphaba e como ela se tornou a Bruxa Malvada do Oeste. A garota não tinha maldade em seu interior, somente não sabia expressar o que sentia. Ainda que não tivesse jogo de cintura para lidar com pessoas, Elphaba tinha uma forte ligação com os Animais – que então eram capazes de pensar e se expressar como os seres humanos.
Opondo-se à tirania do Mágico de Oz, Elphaba era uma verdadeira revolucionária.


Com a proximidade da estreia de Oz: Mágico e Poderoso, o clássico universo de L. Frank Baum ganha frescor. No entanto, o filme não é uma adaptação da obra Maligna, de Gregory Maguire. Maligna ganhou uma adaptação para a Broadway, chamada Wicked (que é o título original do livro) e traz a maravilhosa Idina Menzel como Elphaba. Tive a oportunidade de assistir à montagem do West End de Londres e foi um sonho: o musical mais lindo ao qual já assisti! A trilha sonora traz músicas divertidas e outras bem tocantes. Dá para achar no YouTube as várias partes do musical e conferir as músicas.
Vale a pena preparar a playlist e correr para ler o livro! (Tenho a edição em inglês na minha pilha de livros a serem lidos e prometo que um dia rola review!)

Sugiro que ouçam as músicas Defying Gravity e For Good... são emocionantes! Ah, e vejam abaixo a cena de Elphaba e Galinda na música Popular, a mais divertida do musical:




O FANTASMA DA ÓPERA, de Gaston Leroux, edição da Ediouro, 2005.

Um homem deformado se esconde nos subterrâneos de um teatro e acaba se apaixonando por uma jovem atriz. Histórias de fantasmas e assassinatos cercam o personagem de mistério e completam o clima deste clássico da literatura.
É noite de gala na Ópera de Paris. Os Srs. Debienne e Poligny se despedem do cargo de diretores da Ópera com um último recital. Porém, nos corredores do teatro, uma figura misteriosa caminha como uma sombra e desaparece sempre que é vista. No subsolo, o maquinista-chefe é encontrado morto. Esse é o legado deixado pelos antigos diretores: a perturbadora presença do Fantasma da Ópera. Ao ignorar os caprichos do Fantasma, os novos diretores têm que lidar com uma trágica sequência de eventos que culmina no desaparecimento repentino da cantora lírica Christine Daaé. É em meio a esse clima de suspense e de terror que somos levados ao labirinto sombrio que é o subsolo da Ópera de Paris.


Comentários dispensados! Obra linda e imortal, não tem quem não tenha pelo menos ouvido falar na história do Fantasma da Ópera. A história original de Gaston Leroux já foi adaptada para o cinema um montão de vezes, além das adaptações para os teatros (que, inclusive, já tivemos a chance de ver aqui no Brasil). Como boa aficionada por musicais, o filme musical de 2004 (de Joel Schumacher) me marcou e a trilha sonora é especial. É daquele tipo que as letras contam a história para a gente, quase como se os personagens só falassem cantando!

Escolhi para o post a cena da linda The Music of the Night. Fiquei tentadíssima a colocar a tão famosa The Phantom of the Opera, que adoro, e que recomendo também as versões metal da música – a do Nightwish é minha preferida!




OLIVER TWIST, de Charles Dickens, edição da Melhoramentos, 2012.

Inglaterra, século XIX. Oliver Twist chegou ao mundo numa noite bem fria e nada promissora. A mãe morreu em seguida, e ninguém tinha a menor ideia de quem fosse o pai. Órfão e pobre, o menino foi amparado por um abrigo. Maltratado, acabou fugindo e foi viver nas ruas de Londres, onde conheceu Fagin – um dos grandes vilões da história da literatura –, chefe de uma quadrilha de meninos especialistas em furto de joias.
É o início de uma história cheia de desafios e reviravoltas. Obrigado a roubar, Oliver começa a se meter em uma grande enrascada, mas nem imagina que, em meio a tanta confusão, o destino trará à tona os segredos de sua origem.
Publicado originalmente em folhetim, entre 1837-9, foi o primeiro romance em língua inglesa a ser protagonizado por uma criança.


Eis um clássico do qual todo mundo certamente já ouviu falar. E não é para menos: Oliver Twist é um dos livros mais conhecidos de Charles Dickens.
Assim como O Fantasma da Ópera, Oliver Twist foi adaptado inúmeras vezes para o cinema, e também para televisão e teatro. O filme musical Oliver!, de Carol Reed, 1968, é uma das adaptações mais populares da obra (mas ainda fica atrás do Oliver Twist de David Lean, 1948). Existe também um remake de Roman Polanski. Mas como estou falando de leitura com trilha sonora, nada melhor e mais justo que mencionar a trilha sonora de Oliver! (1968), já que é um musical – e, na minha opinião, esse fato faz com que a trilha seja mais divertida e inesquecível. Para quem tem como meta literária ler mais clássicos este ano, por que não se aventurar na Inglaterra Vitoriana com Oliver Twist, e colocar na playlist a trilha sonora do premiado filme musical? Fica a dica... (Existe até uma edição traduzida por Machado de Assis, da ed. Hedra.)

Fiquei muito indecisa sobre se colocava o vídeo de Food, Glorious Food ou de You’ve Got to Pick a Pocket or Two. Acabei optando pelo segundo:




Gostaram? Espero que sim!
Se souberem de mais algum e quiserem me indicar, a louca por musicais aqui vos agradece!

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

16 COMENTÁRIOS

  1. Eu amo esse último *-*
    Adorei o post, acabei de conhecer seu blog e tô adorando. Tá tudo perfeito aqui, você escreve muito bem e o layout é simplesmente... incrível! *-* Sério, parabéns, você vai longe assim. Tô seguindo s2
    Bjinhoss
    laialisafa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Laiali, adorei seu comentário! Valeu mesmo pelos elogios, poxa deu até uma emoçãozinha. ^^
      Um bjão!

      Excluir
  2. Adorei! Vou procurar saber mais sobre esse do Wicked! Sou louca para ler esse livro e adorei esse trecho que deixou do youtube.. quero muito!
    Também preciso assistir ao filme Footloose e quero ler o livro também..
    Beijos
    http://dreamingtielle.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procura sim os vídeos do Wicked no YouTube, vale a pena, é lindo!!! Tenho o livro há um tempinho já, vamos ver se consigo ler ele logo hehehe.
      Footloose, só vi a primeira versão e amo!

      Excluir
  3. Oi, Aline! :) Eu ainda não assisti às versões citadas de Footloose, e tampouco li o livro, mas gosto de filmes/livros voltados para a dança e não descarto a possibilidade de conferir em breve.

    A adaptação mais recente de "O Fantasma da Ópera" é linda! Sem dúvida, é um filme encantador em todos os sentidos. E a música que você escolheu me deixa toda arrepiada... hahaha No bom sentido, claro. Porque eu lembro que, essa cena, foi uma das mais belas do filme! *.*

    Bjs ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, sabe que também fico arrepiada com The Music of the Night, por isso escolhi ela p/ o post. Essa cena toda é linda. Assisti também a uma outra versão, bem mais antiga, do Fantasma da Ópera, muito boa também, mas não era musical, daí perde um pouco do encanto, né. Bjs.

      Excluir
  4. Eu faço as minhas próprias trilhas sonoras pros livros! Sério mesmo! Tenho até a paranoia de quando estou terminando de ler algum, escolho uma música que acho que combine com o tema do livro, e termino de lê-lo ouvindo aquela música! Sério mesmo, rsrsrsr

    cafe-elivro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, que legal isso. Eu acho que teria uma preguicinha básica de fazer uma playlist eu mesma, e também acho que me mataria de indecisão p/ escolher as músicas. O que costuma acontecer é de eu ler um livro e achar que a história ou algum personagem me lembra determinada música. Mas aí fica na lembrança mesmo hehe.

      Excluir
  5. Adorei as dicas Aline! Assisti Footloose e amei, fiquei louca pelo livro. Não assisti O Fantasma da Ópera inteiro mas quero assistir e ler também.
    Beijos
    Raiana - Território Pop

    ResponderExcluir
  6. Adoro O Fantasma da ópera e tenho muita vontade de ler (e ouvir, claro!) Oliver Twist e Maléfica. Não sou muito chegada em Footloose - porque é um desses musicais de dança do anos 70-80, do tipo Flashdance, Grease e Hairspray - mas quem sabe um dia eu não assista...

    Clara
    http://labsandtags.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, jura que você não curte Grease e Hairspray? Poxa.. Eu amo esses dois musicais, acho que mais Grease, mas Hairspray também está entre os mais queridos. Confesso que amo o cd tb haha. Nesse caso, passa o Footloose, mas os outros valem muito a pena!

      Excluir
  7. Eu assisti Footloose, mas não gostei, não tenho muito interesse em ler o livro. Vergonha de confessar que nunca vi, li ou escutei O Fantasma da Ópera, pra falar a verdade eu nem sei muito bem sobre o que é a história, mas me interessei. E Oliver Twist eu tenho mais vontade de ler do que ver ou escutar.

    Bjs, @dnisin
    http://diamanteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Adoro o filme de Footloose, não sabia que tinha livro! Com certeza darei uma chance :)
    Beijo,
    Nic

    ResponderExcluir
  9. Oliver Twist é o único que li da lista :o
    Nem sabia que Footloose tinha livro, não sabia mesmo, agora fico imaginando o que seria o livro desse filme Oo minha nossa. HSUAHSUAHSUAHS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha é, o livro de Footloose é adaptado do roteiro do filme, e isso faz com que eu tenha um pé atrás, até pelo "trauminha" que fiquei de livro adaptado de filme haha. Mas eu gosto muitoooo do musical "original", então acho que isso me motivaria a ler p/ lembrar do filme, das músicas.

      Excluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros