Filme ‘Paris 8’: paixão pela sétima arte e desilusão norteiam este coming-of-age obrigatório | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: Canção de Ninar, de Leïla Slimani  Resenha: Recortes de uma Paixão  Como ler mais?
Semana do Consumidor Amazon | Livros

Filme ‘Paris 8’: paixão pela sétima arte e desilusão norteiam este coming-of-age obrigatório

Cinema 10 de maio de 2018 Aline T.K.M. Nenhum comentário

Filme ‘Paris 8’: paixão pelo cinema e desilusão norteiam este coming-of-age obrigatório de Jean-Paul Civeyrac

Sabe quando você gosta tanto de um filme que não sabe nem por onde começar a falar dele? E mais, tenho em mente – tenha você também – que tudo o que eu disser aqui ainda será pouco diante do que este filme me trouxe.

O filme em questão é o francês Paris 8, dirigido por Jean-Paul Civeyrac, que também assina o roteiro. O longa chega aos cinemas no dia 17 de maio.

Filme ‘Paris 8’: paixão pelo cinema e desilusão norteiam este coming-of-age obrigatório de Jean-Paul Civeyrac

Deixando os pais e a namorada em Lyon, Étienne (Andranic Manet) se instala em Paris para estudar estudar cinema em Sorbonne. Lá, ele se torna amigo de Jean-Noël (Gonzague Van Bervesselès) e do polêmico Mathias (Corentin Fila), pessoas com quem divide a paixão por fazer cinema.

Entre as novas amizades e colegas de apartamento, festas e intensas discussões filosóficas e ideológicas, Étienne descobre um novo mundo que se abre diante de si, ao passo que vai se desconectando de sua vida anterior. Novos conflitos, amores e perspectivas de vida passam a fazer parte do cotidiano de Étienne e de seus amigos, numa fase em que também enfrentarão suas próprias batalhas artísticas.

Filme ‘Paris 8’: paixão pelo cinema e desilusão norteiam este coming-of-age obrigatório de Jean-Paul Civeyrac

História de formação, Paris 8 fala sobre amadurecimento e sobre a entrada na vida adulta, marcada pela desilusão em contraste com todo o idealismo e a romantização dos próprios objetivos, tão comuns até o fim da adolescência.

As novas experiências que se apresentam para Étienne em todos os setores acabam exercendo papel fundamental em sua jornada de encontrar a si mesmo e encontrar aquilo que verdadeiramente o faz feliz.

Ao mesmo tempo, ao confrontar os próprios atos com seus valores e com tudo aquilo em que acredita, Étienne percebe que tudo se torna muito mais complexo, subjetivo e relativo quando se aproxima o discurso do indivíduo que o declama. Afinal, ser totalmente fiel consigo mesmo é algo que poucos conseguem lograr em uma existência.

Filme ‘Paris 8’: paixão pelo cinema e desilusão norteiam este coming-of-age obrigatório de Jean-Paul Civeyrac

Marcado por um tom melancólico e desiludido, o filme revela um mundo estragado e com poucas chances reais de ser consertado, onde nele se insere uma juventude de muitas ideias, mas sem saber como transformá-las em ações. Uma juventude frustrada, desesperançada, insegura e deslocada – embora muitas vezes se autoproclame preenchida de opiniões e planos sobre o que quer que seja.

Filme ‘Paris 8’: paixão pelo cinema e desilusão norteiam este coming-of-age obrigatório de Jean-Paul Civeyrac

Se a ausência de cores no filme é algo bastante plástico e agrada nossos olhos, o recurso também dialoga com esse pessimismo essencial que os personagens apresentam para com o mundo. O roteiro de Civeyrac também vem a confirmar a queda do precipício que o amadurecer representa na vida de Étienne e na de seus colegas – e, ouso dizer, também na vida de grande parte da juventude dos dias atuais.

O filme é repleto de bons diálogos, muitos deles com um quê existencial e, claro, passando pelo cinema. Ali, na paixão que une os personagens e onde mora o objetivo de cada um deles, também se nota a necessidade da verdade, de se retratar a realidade – por mais cinzenta que seja – da vida. Quase como a busca individual e incessante por um fragmento de verdade na própria vida.

Filme ‘Paris 8’: paixão pelo cinema e desilusão norteiam este coming-of-age obrigatório de Jean-Paul Civeyrac

Paris 8 também celebra a cinefilia e o amor por fazer cinema. As crenças e discussões inflamadas dos personagens, e o afinco com que trabalham naquilo em que acreditam deixam entrever que ainda pode existir um pedaço de esperança dentro desses jovens, algo a que se apegar e um norte a seguir.

Filme ‘Paris 8’: paixão pelo cinema e desilusão norteiam este coming-of-age obrigatório de Jean-Paul Civeyrac

Nesse campo cinéfilo, um dos meus momentos favoritos é justamente quando Étienne e seus amigos assistem a um filme e, diante de uma mesma cena, percebemos como as expressões em seus rostos são completamente diferentes entre si, a ponto de parecer que não estão vendo a mesma coisa. Parte do encantamento que o cinema tem, esse de fazer com que as histórias na telona mexam diretamente com aquelas histórias que cada um de nós carregamos aqui dentro.

Filme ‘Paris 8’: paixão pelo cinema e desilusão norteiam este coming-of-age obrigatório de Jean-Paul Civeyrac

Se em determinado momento o longa parece dar voltas no mesmo lugar e se alonga um pouco mais que o necessário, o desfecho nos faz perceber que tais voltas se fazem necessárias e mesmo coerentes. Afinal, o próprio Étienne não percorre um trajeto circular em busca de seu próprio rumo? Os segundos finais do longa fascinam pelo significado ambíguo – o pé pode estar na iminência de uma tragédia ou no nascer de um otimismo, quem sabe...

Carregado de significado e também de beleza, Paris 8 pode não dialogar com todos os públicos, mas será certeiro para aqueles que forem atingidos. Se a temática de filmes como Três Lembranças da Minha Juventude e o mais recente Daphne te tocam fundo, me arrisco a garantir que Paris 8 também o fará.

TRAILER E FICHA TÉCNICA




Paris 8 (Mes Provinciales | A Paris Education) – 137 min.
França – 2018
Direção: Jean-Paul Civeyrac
Roteiro: Jean-Paul Civeyrac
Elenco: Andranic Manet, Diane Rouxel, Jenna Thiam, Gonzague Van Bervesselès, Corentin Fila, Sophie Verbeeck, Valentine Catzeflis, Charlotte Van Bervesselès, Nicolas Bouchaud, Laurent Delbecque, Jeanne Ruff

Estreia: 17 de maio

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 8 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Editoras Parceiras