Livro + filme: Precisamos Falar Sobre o Kevin | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: Sopa de Lágrimas, de Gilbert Hernandez  3 hábitos musicais de hoje e da minha adolescência  My Little Pony – O Filme: 4 motivos para assistir
Leituras de abril

Livro + filme: Precisamos Falar Sobre o Kevin

Intrínseca 18 de fevereiro de 2015 Aline T.K.M. 18 COMENTÁRIOS


No início do mês assisti a um filme que me tirou dos eixos: Precisamos Falar Sobre o Kevin. E percebi que precisava falar dele aqui no blog.

Altamente psicológico, o longa nos insere na vida atual de Eva, então um tanto letárgica e tratada com muita hostilidade por todos na cidade. A principal razão aponta para seu filho mais velho, Kevin, autor de um crime que chocou a população. Através de flashes, Eva mergulha em seu passado, na relação com o filho desde a infância à adolescência, em uma busca desesperada por um motivo para a fatalidade que destruiu a vida feliz que um dia ela teve ao lado da família. Permeando toda a história, a presença frequente de um vermelho-sangue aguça o sentimento de perturbação no espectador, bem como em Eva.



Magistral; é o que eu tenho a dizer sobre o filme. O efeito foi tamanho que resgatei meu desejo – já até esquecido, confesso – de ler o livro, na esperança sincera de encontrar, ali também, a mesma densidade, frieza e perturbação que me agradaram na adaptação.

Sim, o livro continua na minha wishlist, agora com um letreiro de “urgente!” piscando loucamente ao lado! Alguém aí já leu esse livro? O que acharam?!

Convido-os a conhecer livro e filme logo abaixo. Caso curtam filmes psicologicamente perversos e, por qualquer motivo, ainda não viram esse filme... Corram! Vocês não sabem o que estão perdendo – mas aviso que é preciso boa dose de “sangue frio”.

LIVRO: Precisamos Falar Sobre o Kevin, de Lionel Shriver, Intrínseca.


SINOPSE: Para falar de Kevin Khatchadourian, 16 anos – o autor de uma chacina no ginásio de um bom colégio do subúrbio de Nova York –, Lionel Shriver arquiteta um romance epistolar em que Eva, a mãe do assassino, escreve cartas ao marido ausente. Nelas, ao procurar porquês, constrói uma reflexão sobre a maldade e discute um tabu: a ambivalência de certas mulheres diante da maternidade e sua influência e responsabilidade na criação de um pequeno monstro. Eva amarga a monstruosidade do filho; entre culpa e solidão, ela apenas sobrevive. A vida normal se esvai no escândalo, no pagamento dos advogados, nos olhares sociais tortos.

O livro discute casamento e carreira; maternidade e família; sinceridade e alienação. Denuncia o que há de errado com culturas e sociedades contemporâneas que produzem assassinos mirins em série e pitboys.

Um thriller psicanalítico no qual não se indaga quem matou, mas o que morreu. Enquanto tenta encontrar respostas para o tradicional “onde foi que eu errei?” a narradora desnuda, assombrada, uma outra interdição atávica: é possível odiarmos nossos filhos?

FILME: Precisamos Falar Sobre o Kevin (We Need to Talk About Kevin, dirigido por Lynne Ramsay, EUA / Reino Unido, 2011)

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

18 COMENTÁRIOS

  1. Desde que eu assisti esse filme, o livro está na minha wishlist. Não sei o porque, ainda não consegui comprar, geralmente é por esquecimento. Esse filme é extremamente perturbador e completamente envolvente. Você se põe no lugar de Eva a todo momento, e fica tentando entender o que se passa pela cabeça de Kevin.
    Espero ler esse livro o mais breve possível.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tinha vontade de ler o livro bem antes de ver o filme, tudo por causa da sinopse (claro!) e de algumas resenhas que andei lendo. Depois de ver o filme então... Fiquei completamente envolvida e pretendo ler o livro em breve - penso em escolhê-lo como próximo livro na parceria com a Intrínseca. =) Beijo!

      Excluir
  2. Peguei o filme depois que tinha começado... Acho que minha irmã que estava assistindo. É uma história assustadora e incrivelmente perturbadora! O final ainda me deixa mal quando me lembro. E a curiosidade de o que aquele menino tinha.

    Clara
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois que assisti fiquei pensando "cara, por que é que eu não assisti isso antes?!?!?!". Gostei de cada aspecto do filme, inclusive - e principalmente - dessa lacuna sobre o que realmente teria motivado Kevin a fazer tudo o que ele fazia. Bjs.

      Excluir
  3. Assisti ao filme na época em que foi lançado, imediatamente se tornou um dos meus preferidos, daí naturalmente eu quis muito ler o livro. Apesar disso demorei bastante pra compra-lo, porque queria achar a bendita capa original, haha. Achei, li e, claro, se tornou um dos meus livros preferidos. Genial. Lionel Shriver é genial, já quero ler todos os livros dela (tenho "Tempo é Dinheiro", mas ainda não li). Leia! ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dos seus preferidos?? Sério, amei muito saber disso; agora minha curiosidade e a certeza de que quero lê-lo logo aumentaram muito. Ainda não li nada do Shriver, então será mesmo minha estreia. =)
      Sabe que eu também prefiro as capas originais às capas de filme. Espero que consiga também o livro com a capa original (muito mais bonita). Bjs!

      Excluir
  4. assisti o filme ano passado e achei muito bom, por ser bem perturbador - Kevin é filho do Capeta!!! (brincadeira, é claro.)
    meu irmão leu o livro, já eu não, mas se um dia eu tiver oportunidade certamente o farei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkk totalmente, Kevin é o próprio demônio (e eu gosto muito do ator, achei-o perfeito; sem falar nos meninos que interpretaram ele ainda pequeno, muito bons). Achei o filme animal e pretendo ler o livro logo que possível!

      Excluir
  5. Esse filme sempre me chama muito a atenção, mesmo que também me cause aquele arrepio meio incômodo por conta da temática (e que capa arrepiante essa do livro!), mas tenho muita vontade ver, essa parte psicológica que mexe com a gente me lembra um pouco Garota Exemplar, não sei ao certo porquê hahaha
    Beijos!
    Isa.
    Portal dos Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você curte tramas psicologicamente perturbadoras, mas muito perturbadoras mesmo, veja o filme, você vai achá-lo sensacional. Pois é, já ouvi muitas coisas boas sobre Garota Exemplar, tanto por ser perturbador como também por ter muitas reviravoltas. Ainda não li o livro nem vi o filme, mas o livro já está na minha estante há uns meses. Espero conseguir ler logo mais. Beijo.

      Excluir
  6. Esse livro é sensacional. Se tu ficasse assim com o filme, espere essas sensações de intensificarem ainda mais. No livro podemos entrar mais a fundo nos pensamentos de Eva. Espero que goste muito também!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, é a segunda vez nestes comentários que fico ainda mais empolgada com a ideia de ler o livro. =D Pretendo pedi-lo logo, logo para a Intrínseca. E honestamente, acho que vou curtir bastante, principalmente ao saber que nele o autor vai fundo no psicológico da Eva. Enfim, mal posso esperar!

      Excluir
  7. Todas vocês, leiam o livro sim, devagarinho, mexe muito, se a gente tem filhos ou não. Achei os artistas perfeitos no filme. E o livro se desenvolve através das cartas que Eva troca com o ex-marido, e passa bem a ideía perturbadora de que Eva não queria ter filhos, Eva não gostava daquele menino, e não sabia como lidar com ele, Bem ao contrário das mães com filhos deficientes ou problemáticos que são todas sorrisos dizendo 'eu o amo mais que tudo,'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza os atores foram muito justos, perfeitos. Tanto Eva quanto o próprio Kevin - aliás, o que dizer do Kevin ainda criança (o "intermediário", antes de virar adolescente)??! Pois é, acho bem interessante essa perspectiva das cartas, de adentrar mesmo tudo o que se passava com Eva, com sua rejeição à ideia de se tornar mãe, enfim. Acredito que será uma leitura e tanto.

      Excluir
  8. Morro de vontade de ver esse filme! Mas ainda não sei se leio primeiro ou se vou direto pro filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou suspeita para falar porque muitas vezes eu faço o caminho inverso hahah, primeiro vejo o filme e depois leio o livro. Bom, eu gostei muito mesmo do filme, é realmente perturbador, e não acho que o livro vá ser menos que isso somente por eu já ter visto o filme hehe.

      Excluir
  9. Livro fantástico. Altamente perturbador, você fica envolvido, sente junto com os personagens e no fim sente até compaixão do Kevin e principalmente de Eva ( Quem no começo eu sentia certo desprezo). Nunca assisti o filme, mas agora tô com ainda mais vontade!

    Investe no livro que vale a pena :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com tudo o que você disse! Depois eu li o livro e, simplesmente, foi a minha melhor leitura do ano passado. Inesquecível. E sabe, eu não senti desprezo pela Eva ao ler o livro, até porque a trama acompanha ela antes da gravidez, você passa a conhecer melhor as motivações da personagem. Senti pena dela do início ao fim. Bjs!

      Excluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros