Quote da quinzena #19 | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
3 motivos para ver Descendentes 2, o novo filme do Disney Channel  Resenha: Civilizações – A Fonte: dois mundos, uma jornada, de Wallace Horta  Making of O Reino Gelado – Fogo e Gelo: com Larissa Manoela, João Guilherme, João Côrtes e Lipe Volpato
Leituras de abril

Quote da quinzena #19

John Green 5 de dezembro de 2014 Aline T.K.M. 4 COMENTÁRIOS


Gostosinho de ler e com personagens engraçados, que conquistam a empatia do leitor; O Teorema Katherine dispensa explicações – penso que todos vocês já conhecem muito bem o livro! Então vou direto ao ponto e deixo a seguir alguns quotes de que gostei bastante e que fiz questão de anotar durante a leitura.

Mas Colin sabia que o universo não conspirava para colocar uma pessoa em um local em vez de em outro. E pensou em Demócrito: “Em todo lugar o homem culpa a natureza e o destino, embora seu destino seja nada mais que o eco de seu caráter e suas paixões, seus erros e suas fraquezas.”

O aroma do perfume que ficou para trás. Não há palavra em inglês que descreva isso, mas Colin conhecia o termo em francês: sillage.

Colin não riu. Em vez disso, pensou: Absorventes internos têm cordinhas? Por quê? De todos os grandes mistérios da humanidade – Deus, a natureza, o universo etc. – esse era o que ele menos conhecia. Para Colin, esses absorventes eram um pouco como os ursos-pardos: estava ciente da existência deles, mas nunca tinha visto um solto por aí, e também não fazia muita questão.

Popularidade é um troço complicado, sabe? É preciso passar um tempão pensando em todos os aspectos do “gostar”; cê precisa gostar muito de ser gostado, e, além disso, meio que gostar de ser desgostado.

Je pense que je t’aime, foi o que ela disse numericamente: “Acho que gosto de você.” Ou: “Acho que amo você.” O verbo francês aimer pode significar as duas coisas. E era por isso que ele gostava dela e ao mesmo tempo a amava. Ela falava com ele numa língua que, não importava a quantidade de horas que fosse estudada, não poderia ser totalmente compreendida.

O Teorema Katherine, de John Green.


Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

4 COMENTÁRIOS

  1. Não é o meu livro preferido do autor, porém é um dos mais engraçados. Adorei os quotes!

    Beijos!
    livrosdawis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até agora é o único que li do John Green, mas todos os outros já estão na fila. =) Não achei o livro excepcional nem nada, mas você disse tudo, é bem engraçado. Bjs.

      Excluir
  2. Não conhecia o Livro mas fiquei curiosa pra ler !
    Parece bem engraçado ^^
    Beijos ♥ O Melhor de Mim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Micaely! O livro é sim engraçado, principalmente pelos personagens. Leitura leve e divertida. =)

      Excluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros