Chez le Libraire: Les particules élémentaires, de Michel Houellebecq | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme: Um Tio Quase Perfeito  Livros recebidos em abril  Resenha + Sorteio: Quer que eu desenhe? (vol.2)
Leituras de abril

Chez le Libraire: Les particules élémentaires, de Michel Houellebecq

À la française 11 de julho de 2013 Aline T.K.M. 5 COMENTÁRIOS


Mais do que apenas um livro bastante conhecido, venho mostrar neste Chez le Libraire um escritor francês que há tempos quero ler. Trata-se de Michel Houellebecq, que recentemente foi notícia ao cancelar – pela segunda vez – sua participação na Flip. Michel já havia cancelado sua participação na Flip 2011; após ter confirmado presença na edição deste ano, o escritor voltou a cancelar devido a problemas pessoais.

Mas não vim aqui falar desse "chove não molha" do autor. Vim, sim, mostrar a sinopse do livro Les particules élémentaires, que gostaria muito de ler em francês e que acredito ser interessante como dica para quem quiser praticar um pouco o idioma nessas férias – imagino que todos os cursos de idiomas estejam em período de férias, exceto para quem estiver fazendo os “intensivões” de julho.

Ouvi falar do livro por causa de sua adaptação cinematográfica. Partículas Elementares é um filme alemão baseado no romance francês, e foi lançado em 2006 sob a direção de Oskar Roehler. Apesar de já ter ouvido falar muito mal do filme, tenho uma curiosidade imensa e persistente em relação a ele – não, ainda não assisti, mas pretendo. E foi essa curiosidade que me levou a descobrir que o filme teve um livro como inspiração.

A edição brasileira, intitulada Partículas Elementares, foi publicada pela editora Sulina. A trama gira em torno de dois meios-irmãos, Michel e Bruno. O primeiro é pesquisador em biologia, que dedica sua vida inteiramente ao trabalho, em detrimento de sua vida pessoal. Já Bruno vive na constante e desesperada busca pelo prazer sexual. Com trajetórias caóticas nos campos familiar e sentimental, os irmãos terão suas vidas unidas em um ponto comum. Ainda, como nos diz a sinopse brasileira, existe a “iminência de uma mutação jamais imaginada pela ficção”.

Les particules élémentaires foi objeto da maior polêmica literária da década de 90 na França, e fez do autor, Michel Houellebecq, uma personalidade cultural reconhecida internacionalmente. Dito isso, parece mesmo se tratar de uma leitura intrigante e fora do comum. E, como eu sempre digo, em francês é mais gostoso. Neste caso, não duvido que seja!

LES PARTICULES ÉLÉMENTAIRES, de Michel Houellebecq, J’ai Lu.
RÉSUMÉ : L'un est un scientifique de renom, l'autre est anonyme ; Michel et Bruno sont demi-frères et n'ont rien en commun, sinon une propension au malheur. En cette fin de XXe siècle qui voit le monde occidental courir à sa perte, il est évident que Michel Djerzinski et Bruno n'ont aucune chance. Ce qu'illustrent leurs vies exemplaires n'est rien moins que la troisième mutation métaphysique de l'histoire du monde.

Michel, chercheur en biologie rigoureusement déterministe, incapable d’aimer, gère le déclin de sa sexualité en se consacrant au travail, à son Monoprix et aux tranquilisants. Une année sabbatique donne à ses découvertes un tour qui bouleversera la face du monde. Bruno, de son côté, s’acharne en une quête désespérée du plaisir sexuel. Un séjour au "Lieu du Changement", camping post-soixante-huitard tendance new age, changera-t-il sa vie ? Un soir, une inconnue à la bouche hardie lui fait entrevoir la possibilité pratique du bonheur.

Par leur parcours familial et sentimental chaotique, les deux demi-frères illustrent de manière exemplaire la société d’aujourd’hui et la quête complexe de l’Amour vrai. Le récit, en trois parties, se déroule entre 1998 et 2009, et raconte l'histoire alternée de Bruno et Michel, nés à la fin des années cinquante, que les hasards de la vie (et un coup de pouce des géniteurs) ont mis à un certain moment en relation. Bonheur, sexe, religion, clonage... un roman provocateur et polémique.

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

5 COMENTÁRIOS

  1. Ah, eu super queria aprender a falar francês *-* Mas, por enquanto, ainda estou caminhando no italiano e não vou embarcar em outra língua antes disso >< hahah
    O jeito de ler esse livro seria na versão brasileira mesmo...

    Beijos,
    Nanie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh, italiano!! Queria tanto aprender essa língua; quando me decidir a começar um novo idioma, com certeza será esse. ^^

      Excluir
  2. Teoricamente, eu tenho 2 semestres de francês da faculdade. Na prática... é o básico do básico do começo e só. Meu primeiro semestre até que foi bem, mas no segundo meu professor me traumatizou me fazendo conjugar trocentos verbos na gente de todo mundo, aí ganhei um belo bloqueio pra francês e não consegui aprender mais nada direito com ele - passei a matéria raspando. Mas acho uma língua tão bonita *O*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francês é uma língua charmosa demais. Quando comecei a estudar, eu era assim mediana. Só entrei no espírito da coisa mesmo quando me decidi a estudar também sozinha, ir fundo na gramática mesmo, aí tudo passou a fazer mais sentido. Não deixa esse bloqueio tomar conta, não!

      Excluir
  3. Vou indicar o livro para uma amiga professora de francês. Ela adora ler e acho que vai gostar.

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir

Segue @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros