Marcas de Nascença: Arnon Grunberg é tapa na cara mesmo! | Resenha | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: O Peso do Pássaro Morto  Livro: Kafka à Beira-Mar, de Haruki Murakami  Book haul pt.2: livros novos
Semana do Consumidor Amazon | Livros

Marcas de Nascença: Arnon Grunberg é tapa na cara mesmo! | Resenha

Arnon Grunberg 5 de fevereiro de 2021 Aline T.K.M. Nenhum comentário

Marcas de Nascença: Arnon Grunberg é tapa na cara mesmo! | Resenha

Qual o peso das marcas de nascença na vida de uma pessoa? É nisso que Arnon Grunberg vai se debruçar em seu livro Marcas de Nascença.

Otto Kadoke tem sua vida resumida ao trabalho como psiquiatra no serviço emergencial e às visitas à mãe idosa. Solitário, sem filhos e na meia-idade, vê sua vida tomar um rumo inesperado quando, após um delicado episódio envolvendo uma das cuidadoras nepalesas da mãe, tem de retornar à casa materna e se ocupar dos cuidados dela.

Uma relação confusa e doentia entre mãe e filho nos é revelada, acrescida do sentimento de culpa experimentado pelo protagonista e de sua dificuldade em lidar com a morte. Aliás, não bastasse todo o momento complicado que está vivendo, Kadoke ainda toma umas decisões e atitudes bem disparatadas.

Bom, estamos falando do Arnon Grunberg, né!? O holandês nos deleita com personagens e interações peculiares, além de relações familiares problemáticas. E ele também não economiza nos tapas na cara do leitor!

Ah, e essa história do Kadoke ganhou uma continuação, lançada na Holanda no início de 2020, mas ainda sem previsão de publicação por aqui. (Traz para a gente, Rádio Londres!!)

Aqui no vídeo dei mais detalhes do que achei da leitura de Marcas de Nascença, que é um ótimo livro, mas não me fascinou como Tirza...


ASSISTA NO YOUTUBE | SE INSCREVA NO CANAL




Onde comprar: Livraria da Travessa

Título: Marcas de Nascença
Título original: Moedervlekken
Autor(a): Arnon Grunberg
Tradução: Mariângela Guimarães
Editora: Rádio Londres
Edição: 2020
Ano da obra: 2006
Páginas: 379

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 11 anos e se dedicar a este projeto é uma das coisas que mais ama fazer, além de estar em contato com os mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por cinema, viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Parceiros