‘Mulheres Armadas, Homens na Lata’: mulherada no comando em comédia com tintas tarantinescas | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: Duplo Eu  Resenha: Confissões do Crematório, de Caitlin Doughty  Resenha: O Cemitério, de Stephen King
Semana do Consumidor Amazon | Livros

‘Mulheres Armadas, Homens na Lata’: mulherada no comando em comédia com tintas tarantinescas

Allan Mauduit 12 de agosto de 2019 Aline T.K.M. Nenhum comentário

Mulheres Armadas, Homens na Lata: mulherada no comando em comédia com tintas tarantinescas | Cinema

Bang bang, he shot me down. Bang bang, I hit the ground. Se você pensou no cinema do Tarantino com um sorriso na cara, anota essa dica de filme: Mulheres Armadas, Homens na Lata, dirigido por Allan Mauduit, estreou recentemente nos cinemas e é uma boa pedida para quem curte humor negro e histórias envolvendo gângsteres. Ah, e mulheres comandando a p* toda!

Mulheres Armadas, Homens na Lata: mulherada no comando em comédia com tintas tarantinescas | Cinema

A comédia apresenta três funcionárias de uma fábrica de peixe enlatado que se veem unidas por um problema (ou solução): o assassinato acidental do patrão abusivo e a descoberta de que ele estava em posse de uma mala de dinheiro. Precisando de grana, as três decidem ficar com o dinheiro e se livrar do corpo, enlatando-o. Mas a confusão começa quando os gângsteres donos do dinheiro dão as caras e as latinhas com os restos do cadáver são enviadas para uma instituição de caridade para ser distribuídas.

Mulheres Armadas, Homens na Lata: mulherada no comando em comédia com tintas tarantinescas | Cinema

Mais interessantes que a trama em si, sem dúvida, são as personagens centrais. Representando a classe operária francesa, Sandra tem no currículo apenas o fato de ter sido miss de uma região modesta e carrega uma carreira de modelo fracassada, Marilyn cria sozinha um filho pré-adolescente, e Nadine é uma mulher mais velha que ainda precisa trabalhar para sustentar a família. A história das três – interpretadas brilhantemente, é preciso dizer – poderia muito bem ser um drama realista, não fosse o recheio abundante em exageros e humor negro, com direito a castração e tudo.

Mulheres Armadas, Homens na Lata: mulherada no comando em comédia com tintas tarantinescas | Cinema

A violência corre solta e não é à toa que a letra da trilha sonora tarantinesca abre o texto – ela aparece durante o filme só para deixar (ainda mais) evidentes as fontes das quais bebe o filme de Mauduit. O espectador pode esperar muitas reviravoltas, até os minutos finais; contudo, lá pelas tantas, algumas revelações dão um tom meio novelesco ao longa e seriam bem dispensáveis.

Mulheres Armadas, Homens na Lata: mulherada no comando em comédia com tintas tarantinescas | Cinema

Mas o que é gostoso de ver aqui, afinal de contas, é que a mulherada vem para mostrar quem manda; elas se destacam pela força e ao mesmo tempo são cômicas. Retratados como seres desnecessários, esses caras apanham nas mãos das protagonistas – nem o filho de Marilyn escapa!

Embora o roteiro não traga muita genialidade e o filme como um todo não chegue a surpreender, Mulheres Armadas, Homens na Lata é garantia de boas risadas.

TRAILER E INFOS




Mulheres Armadas, Homens na Lata (Rebelles) – 87 min.
França | 2019
Direção: Allan Mauduit
Roteiro: Allan Mauduit, Jérémie Guez
Elenco: Cécile de France, Yolande Moreau, Audrey Lamy, Simon Abkarian, Samuel Jouy, Béatrice Agenin, Patrick Ridremont, Tom Lecocq, Valentin Papoudof, Michel Masiero

Estreia: 5 de agosto

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 9 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Editoras Parceiras