‘Anos 90’: um olhar nostálgico e repleto de frescor em estreia de Jonah Hill como diretor e roteirista | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Capas que enganam  Resenha: Canto da Planície  Resenha: O Dia de Julio
Semana do Consumidor Amazon | Livros

‘Anos 90’: um olhar nostálgico e repleto de frescor em estreia de Jonah Hill como diretor e roteirista

Anos 90 30 de maio de 2019 Aline T.K.M. 4 comentários

Anos 90: um olhar nostálgico e repleto de frescor em estreia de Jonah Hill como diretor e roteirista | Cinema

Skate, Super NES, fitas cassete e CDs dividindo lugar na prateleira, Nirvana, Morrissey e Cypress Hill tocando no discman. Anos 90 marca a estreia de Johan Hill nos longas-metragens como diretor e roteirista, e merece a atenção do público ao trazer uma história de formação carregada de personalidade. O filme estreia hoje nos cinemas.

Anos 90: um olhar nostálgico e repleto de frescor em estreia de Jonah Hill como diretor e roteirista | Cinema

Los Angeles, meados da década de 90. O ótimo Sunny Suljic dá vida a Stevie, um garoto de treze anos que encontra seu lugar no skate e, com os novos amigos, um grupo de garotos skatistas mais velhos, vive aventuras e as primeiras descobertas da adolescência em um agitado verão.

Entre conversas descontraídas, manobras de skate, festas e pequenas transgressões, Ray, Fuckshit, Fourth Grade e Ruben curtem a vida enquanto conhecem Stevie. Aos poucos, o caçula do grupo, apelidado de Sunburn, vai ganhando o respeito e a afeição dos garotos, mas também desperta o ciúme de Ruben, que até então era o mais novo entre eles.

Anos 90: um olhar nostálgico e repleto de frescor em estreia de Jonah Hill como diretor e roteirista | Cinema

O clima ensolarado e a aparente despreocupação ditam a atmosfera do filme, e também contrastam com os problemas particulares de cada um dos garotos, dos quais temos um breve e suficiente vislumbre. Stevie também tem suas questões dentro de casa, entre elas o relacionamento conturbado com o irmão mais velho, que o agride séria e frequentemente, a ausência de uma figura paterna e a falta de uma relação mais sólida com a mãe. Não raro ele recorre à autopunição.

Anos 90: um olhar nostálgico e repleto de frescor em estreia de Jonah Hill como diretor e roteirista | Cinema

Para o garoto, o skate acaba se tornando uma válvula de escape e um elemento importante na busca pela própria identidade, numa fase marcada pela necessidade de pertencimento e aceitação. Os amigos desempenham aí um importante papel e, entre risadas e zoações, trocam lições relevantes entre si.

Diante de nossos olhos, Stevie se transforma de criança a adolescente, passando a reivindicar um lugar no mundo e a explorar as possibilidades que lhe são reveladas. Superar as quedas e aprender a se reerguer faz parte não apenas do skate, mas da trajetória do crescimento – e da vida, acima de tudo.

Anos 90: um olhar nostálgico e repleto de frescor em estreia de Jonah Hill como diretor e roteirista | Cinema

Anos 90 é todo nostalgia. O formato do longa, que remete à televisão, opera uma verdadeira viagem no tempo e evoca um período gostoso que não volta mais. Verdadeiramente notável e cheio do frescor das atuações juvenis, o filme cativa o espectador do início ao fim com uma história sobre amizade, descobertas e uma época certamente inesquecível na vida de muitos de nós.

Anos 90 se revela uma bela surpresa em muitos sentidos e coloca Jonah Hill definitivamente no radar como uma promessa das grandes no meio cinematográfico. Mais que recomendado; obrigatório!

TRAILER E INFOS




Anos 90 (Mid90s) – 85 min.
EUA | 2018
Direção: Jonah Hill
Roteiro: Jonah Hill
Elenco: Sunny Suljic, Katherine Waterston, Lucas Hedges, Na-kel Smith, Olan Prenatt, Gio Galicia, Ryder McLaughlin, Alexa Demie

Estreia: 30 de maio

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 9 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

4 comentários

  1. Estou muito por fora sobre novidades da sétima arte.
    Não sabia o Hill ser mais do que ator.
    E, como acho década de 90 a melhor, terei que assistir um dia.
    Valeu a dica!

    Shadai

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, eu também não sabia dessas incursionadas dele na direção. E fiquei muito surpresa com o filme, filmaço mesmo. =)

      Excluir
  2. Quando vi esse filme, me lembrei muito de Projeto Flórida – apesar de serem consideravelmente diferentes, achei que os dois têm mais ou menos a mesma vibe. Adorei seu olhar sobre Anos 90, eu também gostei muito dele. É real e sensível sem apelar para algo forçado. Jonah Hill começou muito bem como diretor e roteirista com esse filme; foi uma surpresa bastante agradável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim!! Também pensei em Projeto Flórida em alguns momentos, por trazer essa coisa da infância, de se virar por aí, no meio de outras crianças. E também pelo entorno nada fácil dos personagens. Gostei muito do filme e me surpreendi com essa estreia do Jonah Hill; acho que ainda vamos ver muitas coisas boas dele adiante. =)

      Excluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Editoras Parceiras