Filme ‘Lua de Júpiter’: a necessidade humana de sinais divinos em um mundo desiludido | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: Geek Love  Resenha | Contumélia, um romance de época com aventura e mistério  Resenha | Justin, HQ de Gauthier, aborda o que é ser transgênero
Semana do Consumidor Amazon | Livros

Filme ‘Lua de Júpiter’: a necessidade humana de sinais divinos em um mundo desiludido

Cinema húngaro 31 de maio de 2018 Aline T.K.M. Nenhum comentário

No cinema: Lua de Júpiter | Filmes

Um poder misterioso com ares de milagre que, de um jeito um pouco torto, acaba modificando não só a vida daquele que o possui como também dos que estão ao seu redor.

Esta é, basicamente, a premissa de Lua de Júpiter. O filme húngaro tem direção de Kornél Mundruczó (diretor de White God) e está entre as estreias desta semana nos cinemas.

Aryan (Zsombor Jéger) é um jovem imigrante sírio que, ao tentar atravessar a fronteira é atingido por um tiro. O ferimento, que deveria ter sido letal, o deixa em estado de choque e não demora a perceber que algo estranho ocorre com seu corpo – agora, ele misteriosamente tem o poder de levitar.

O jovem vai parar em um campo de refugiados na Hungria, onde conhece o dr. Stern (Merab Ninidze). Assombrado com o poder de Aryan, o médico o leva consigo às escondidas e passa a se aproveitar da situação do jovem para fazer dinheiro. No entanto, eles são perseguidos pelo diretor do campo de refugiados.

No cinema: Lua de Júpiter | Filmes

O poster e o trailer instigam e dão a impressão de estarmos diante de um filme, no mínimo, peculiar. Também deixam entrever o visual do longa, que alterna entre momentos quase poéticos – como aqueles em que o jovem Aryan levita por sobre a cidade, ou quando vemos apenas sua sombra a descer em flutuação lenta por toda a extensão de um edifício – e a desesperança de um mundo que sabemos em processo de deterioração.

Em um meio tomado pela corrupção e pela hipocrisa, Aryan sacode a vida daqueles que são tocados por sua nova habilidade. Se, por um lado, o poder do jovem é capaz de trazer fé àqueles que há muito a deixaram de lado, por outro, os milagres operados acontecem de forma clandestina e envolvendo dinheiro.

No cinema: Lua de Júpiter | Filmes

O dr. Stern é, ele próprio, transformado aos poucos pela presença e pelo poder de Aryan. Médico corrupto e sozinho, ele traz uma culpa do passado que faz com que persiga alguma forma de redenção.

No cinema: Lua de Júpiter | Filmes

Lua de Júpiter é, sim, um filme interessante em todos os seus aspectos. Além dos méritos do visual, a trama ainda dialoga com o mundo atual, com o caos, com o medo, com a perda de perspectiva e de fé. Talvez o único pecado tenha sido se estender bem mais que o necessário.

Nestes tempos sombrios nos quais – assustadoramente – o ser humano se acostumou a viver no limite, é preciso um sinal que indique a fé como um recurso não extinto, algo em que ainda possamos nos apoiar. Mas, quando por fim aparece um sinal tangível, este permanece preso na incompreensão e na utilização duvidosa.

Entretanto, algumas questões me povoaram a mente ao término das duas horas de projeção. Seria mesmo o poder de Aryan um prenúncio capaz de renovar a fé, um milagre originador de outros milagres? Ou seria apenas mero produto da necessidade humana de transformar fatos insólitos em sinais divinos e motivadores da fé, especialmente em momentos de escuridão?...

TRAILER E FICHA TÉCNICA




Lua de Júpiter (Jupiter holdja | Jupiter’s Moon) – 123 min.
Hungria, Alemanha – 2017
Direção: Kornél Mundruczó
Roteiro: Kornél Mundruczó, Kata Wéber
Elenco: Zsombor Jéger, Merab Ninidze, György Cserhalmi, Mónika Balsai

Estreia: 31 de maio

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 8 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Editoras Parceiras