Tudo e todas as coisas [Nicola Yoon] #resenha | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme: Um Tio Quase Perfeito  Livros recebidos em abril  Resenha + Sorteio: Quer que eu desenhe? (vol.2)
Leituras de abril

Tudo e todas as coisas [Nicola Yoon] #resenha

David Yoon 14 de outubro de 2015 Aline T.K.M. Nenhum comentário


Minha doença é tão rara quanto famosa. É um tipo de Imunodeficiência Combinada Grave, mas você a conhece como “doença da criança na bolha”.

Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode deflagrar um ataque de doenças. Pode ser algum produto químico no líquido usado para limpar uma mesa que eu acabei de tocar. Poder ser o perfume de alguém. Pode ser o tempero exótico de algo que eu comi. Pode ser uma dessas coisas, ou todas elas, ou nenhuma, ou alguma outra completamente diferente. Ninguém sabe o que dá início ao processo, mas todos conhecem as consequências. De acordo com a minha mãe, eu quase morri quando era criança. E assim eu fiquei no limbo da IDCG. Eu não saio de casa, nunca saí de casa em dezessete anos.

A narradora do trecho acima é Madeline Whittier. Prestes a completar dezoito anos, a garota passa os dias em seu quarto branco, estudando pela internet, lendo muitos livros e observando o mundo através da janela. Devido a sua doença, tudo o que entra na casa precisa ser descontaminado, e suas únicas companhias são a mãe – que também é sua médica – e a enfermeira Carla, a quem é muito apegada.

Mas a vida de Maddy está prestes a virar de ponta-cabeça quando ela vê os novos vizinhos se mudando para a casa ao lado. Pai, mãe, filha e ele: Olly, um garoto de olhos muito azuis e roupas sempre pretas, cujo novo quarto fica bem na frente da janela de Madeline. O que começa com um bolo bundt e uma simples troca de e-mails é uma promessa de algo maior. E, pela primeira vez na vida, Maddy deseja incontrolavelmente algo que não pode ter.

Sick lit com um amor proibido à la Crepúsculo, Tudo e todas as coisas aborda a descoberta do amor – e da vida – a partir do conflito entre razão e emoção. Maddy é doente e qualquer coisa, até mesmo o ar do lado de fora, pode ser o gatilho para uma complicação fatal. Barreira intransponível, sua condição não lhe permite qualquer proximidade física que não seja com a mãe e a enfermeira. Como, então, viver um primeiro amor em que até mesmo o toque das mãos não é permitido? Beijo, então, nem pensar...

Pela primeira vez, Maddy guarda segredos da mãe, com quem até então compartilhava tudo. Pela primeira vez se sente impotente e, ao mesmo tempo, disposta a enfrentar o mundo por alguém – como quando presencia da janela, revoltada, as brigas na casa de Olly, ocasionadas pelo pai alcóolatra e violento.

Então, se eu pudesse mudar um único momento, qual eu escolheria? E que resultados eu quereria? Será que eu ainda seria a Maddy? Será que eu viveria nesta casa? Será que um garoto chamado Olly teria se mudado para a casa ao lado? Será que teríamos nos apaixonado?

Mas o livro não fica apenas na tragédia, como o tema pode erroneamente sugerir. Além das ilustrações bem-humoradas e imprescindíveis à história, Maddy nos diverte – curta, grossa e cheia de sarcasmo – resenhando com spoilers os livros que lê.

O amor é uma loucura mas, ainda assim, ele não pode matar. Ou será que pode? Até que ponto amar significa proteger? E ainda, existe um limite para o amor? Entre o medo de ter o coração partido, o fantasma das consequências de sua doença e a tristeza por não ter uma vida como a das adolescentes de sua idade, Madeline compreenderá que correr riscos é parte intrínseca do viver. Mesmo quando a vida acontece dentro de uma bolha.

É estranho perceber que você deseja morrer. Isso não acontece em um lampejo, em uma epifania repentina. É algo que acontece aos poucos, como o reverso de um balão furado.

Metáfora do crescer, Tudo e todas as coisas é um livro sobre o amor, sobre frustração e decepção. Uma história bonita e delicada sobre descobrir o mundo através dos próprios sentidos.

LEIA PORQUE...
Nicola Yoon traz uma história juvenil cheia de vida, e as ilustrações que mencionei mais acima são assinadas por David Yoon, marido da autora jamaicana radicada nos EUA. E, olha que legal, ouvi dizer que vai ter adaptação cinematográfica... #yay

DA EXPERIÊNCIA...
Leitura incrivelmente rápida: não conseguia mais largar o livro!

FEZ PENSAR EM...
Lola e o garoto da casa ao lado, sobre apaixonar-se pelo vizinho e compartilhar um pedacinho da vida através da janela do quarto. As histórias são completamente diferentes entre si, mas vejo em Lola tudo o que Maddy poderia ser, não fosse sua doença. Ah, este livro, da Stephanie Perkins, também é delicioso de ler.

QUANTO VALE?

Título: Tudo e todas as coisas
Título original: Everything, Everything
Autor(a): Nicola Yoon
Ilustrações do miolo: David Yoon
Tradução: Amanda Orlando
Editora: Novo Conceito
Edição: 2015
Ano da obra: 2015
Páginas: 304
Onde comprar: em breve (livro ainda não lançado)

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Segue @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros