3 motivos para ver “Casa Grande” | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
3 motivos para ver Descendentes 2, o novo filme do Disney Channel  Resenha: Civilizações – A Fonte: dois mundos, uma jornada, de Wallace Horta  Making of O Reino Gelado – Fogo e Gelo: com Larissa Manoela, João Guilherme, João Côrtes e Lipe Volpato
Leituras de abril

3 motivos para ver “Casa Grande”

3 motivos para ver 4 de maio de 2015 Aline T.K.M. 2 COMENTÁRIOS


Aproveitei o feriado do Dia do Trabalho para ir ao cinema – um dos meus programas preferidos. Tanta coisa que eu estava (estou) querendo ver... Optei pelo nacional Casa Grande, e foi uma escolha certeira!

Considerado como um dos grandes filmes de 2015 e um filme brasileiro que ficará na história, o longa dirigido por Fellipe Barbosa foi comparado ao aclamado O Som ao Redor (de Kleber Mendonça Filho) e aborda questões de cunho social, enquanto acompanha o amadurecimento e a transformação do adolescente Jean, vestibulando e filho de família de classe média alta em crise financeira.



Motivos para ver Casa Grande existem aos montes. Aqui vão 3 para inspirá-los...

1. Vale pelo conteúdo. Casa Grande traz um drama social, subgênero em alta no cinema brasileiro, sob a perspectiva da classe média alta – e não da camada desfavorecida, como estamos mais acostumados a ver. O longa aborda as mudanças e as relações sociais, adentrando a discussão sobre as cotas raciais, ao contar a história de uma família antes abastada e que mergulha em problemas financeiros. O esforço para manter as aparências e o mesmo estilo de vida, os pensamentos elitistas, o excesso de proteção para com os filhos; tudo isso nos é colocado a partir da trajetória do adolescente Jean, filho dessa família e que, aos poucos, vai saindo da bolha em que vive.

O longa é ficcional, mas carrega consigo muito de autobiográfico: o diretor Fellipe Barbosa – de alguma forma representado pelo garoto Jean – se inspirou em uma crise financeira de sua família que, para protegê-lo, escondeu dele a situação. Filme para refletir.

2. Tirando Marcello Novaes e Suzana Pires, os demais atores são em grande parte não atores e iniciantes, e surpreendem. Destaque para os adolescentes Thales Cavalcanti, o protagonista, e Bruna Amaya. Mas, principalmente, vale a pena destacar Clarissa Pinheiro, que dá vida à empregada doméstica Rita e ganhou o prêmio de melhor atriz coadjuvante no Festival de Paulínia 2014. Engraçada e com características memoráveis, a personagem não estava no roteiro de início, mas surgiu da própria atriz, que foi aluna do diretor num curso de cinema.

3. Casa Grande tem circulado bastante e a resposta é sempre bem positiva. No Festival de Paulínia levou os prêmios de melhor roteiro, melhor ator coadjuvante para Marcello Novaes, melhor atriz coadjuvante para Clarissa Pinheiro e o prêmio especial do júri para o diretor Fellipe Barbosa. No Festival de Palmarès, em Toulouse, ganhou os prêmios de público, de crítica internacional e de crítica francesa. No Festival do Rio levou o prêmio de melhor filme pelo júri popular e, na Mostra Internacional de São Paulo, ganhou o prêmio de melhor filme pela crítica.

Integrante da retrospectiva do cinema brasileiro na Cinemateca de Paris, Casa Grande também passou por festivais e eventos em países como Holanda, Austrália, Espanha, Polônia, Alemanha, Eslovênia e Coreia, além de ter sido selecionado e premiado no Laboratório de Roteiro e Direção de Sundance, em 2008.

Ok, depois de tudo isso, ficou mais do que claro que vocês PRECISAM ver este filme.



TRAILER E SINOPSE

SINOPSE: Sônia (Suzana Pires) e Hugo (Marcello Novaes) são da classe média alta carioca e levam uma vida bastante confortável. Aos poucos vão à falência, mas fazem de tudo para manter as aparências. Ninguém sabe de seus problemas financeiros, nem mesmo o filho Jean (Thales Cavalcanti), estudante do tradicional colégio São Bento e que faz de tudo para se desvencilhar dos pais superprotetores. Para se manter, o casal corta despesas e o garoto, que só se preocupava com garotas e vestibular, enfrenta pela primeira vez a realidade.
Casa Grande, de Fellipe Barbosa, Brasil, 2015.

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

2 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente esse tipo de filme não vem para os dois cinemas aqui da minha cidade :( Só sei que está cheio de V&F 7 e Os Vingadores 2, bom.. oferta e demanda néh? Vou adicionar no meu filmow para não esquecer de ver depois.

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jhey, poxa, é uma pena. Mas sabe que esse filme tem sido bem recebido pelo público, quem sabe futuramente ele não entre em cartaz aí, ou então quando ele for para o Netflix... Aí recomendo que assista mesmo, o filme é excelente, para pensar. =) Bjs.

      Excluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros