Em cartaz: Dólares de areia | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
3 motivos para ver Descendentes 2, o novo filme do Disney Channel  Resenha: Civilizações – A Fonte: dois mundos, uma jornada, de Wallace Horta  Making of O Reino Gelado – Fogo e Gelo: com Larissa Manoela, João Guilherme, João Côrtes e Lipe Volpato
Leituras de abril

Em cartaz: Dólares de areia

Em cartaz 4 de fevereiro de 2015 Aline T.K.M. Nenhum comentário


Livre adaptação do romance francês Les dollars des sables, de Jean-Noël Pancrazi, o drama Dólares de areia – da dominicana Laura Amelia Guzmán e do mexicano Israel Cárdenas – encerrou a 38ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em outubro, com a presença da atriz Geraldine Chaplin.

Província de Samaná, República Dominicana. Noelí (Yanet Mojica) é uma jovem que sobrevive às custas de fugazes relacionamentos por interesse com turistas estrangeiros. Há mais de dois anos, ela mantém uma relação baseada na conveniência com Anne (Geraldine Chaplin), francesa bem mais velha que optou por morar ali no litoral dominicano. Fascinada por Noelí, Anne pretende levar a moça para viver com ela em Paris. Mas a jovem dominicana tem namorado – que se passa por seu irmão e também se beneficia do dinheiro que ela consegue de Anne – e ambos criam um plano para que ela passe a lhe enviar dinheiro quando estiver em Paris. À medida que se aproxima o dia de partir, confusão e ambiguidades tomam conta das emoções de Noelí.

“Dólares de areia”: drama dominicano traz uma incrível Geraldine Chaplin e solidão que atravessa fronteiras

Um olhar, muitos silêncios, uma palavra entrecortada, um toque; é nas sutilezas que reside a força da trama, nos detalhes que comunicam uma infinidade de sensações e sentimentos que os diálogos encontram dificuldade em exprimir.

A fotografia aqui diz muito: as paisagens exuberantes contrastam com planos fechados que parecem querer adentrar a alma dos personagens – e suas dores. Lugar paradisíaco e indivíduos tão sós, com vazios imensos a serem preenchidos. Contradições permanentes e que não cessam de nos arrebatar.

Magistral, Geraldine Chaplin impressiona e é razão primeira para levar o espectador ao cinema. A aparente serenidade de sua Anne é apenas a capa que protege a fragilidade e a carência da personagem, à qual Geraldine confere emoção em cada pequeno gesto e em cada poro.

Nesta história onde nada é explícito, qualquer migalha de afeto é desejada e recebida com anseio; as relações artificiais parecem o único meio possível – ou o mais fácil – para suprir desejos e sentimentos reais. A europeia que, encantada, tenta possuir e habitar a jovem latino-americana, esta ainda cheia de frescor da mocidade, mas já tomada pela malícia e pela necessidade de tirar vantagem. A impotência (nem tão) velada de ambas as partes comove e angustia.

Delicado mas pungente, Dólares de areia conserva a frieza no olhar e deixa o coração apertado. E revela uma solidão que atravessa fronteiras, mas cujo remédio encontra barreiras quase impossíveis de serem superadas.


http://youtu.be/SZMb5VyFG5w

NOTA: 10/10
ESTREIA: 5 de fevereiro

Dólares de areia (Dólares de arena) – 80 min.
República Dominicana, México, Argentina – 2014
Direção: Israel Cárdenas, Laura Amelia Guzmán
Roteiro: Laura Amelia Guzmán, Israel Cárdenas
Elenco: Geraldine Chaplin, Yanet Mojica, Ricardo Ariel Toribio

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros