5 motivos para ler Franck Thilliez | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Leituras de outubro: 4 ótimos livros (ou quase!)  Resenha da HQ: A Diferença Invisível, de Julie Dachez e Mademoiselle Caroline  Resenha: As Primeiras Quinze Vidas de Harry August
Leituras de abril

5 motivos para ler Franck Thilliez

5 motivos para ler 3 de novembro de 2014 Aline T.K.M. 6 COMENTÁRIOS


Franck Thilliez nasceu em 1973 na charmosa cidade francesa de Annecy, e atualmente vive no norte da França, no departamento de Pas-de-Calais. Formado em engenharia de novas tecnologias, hoje se dedica somente à escrita de thrillers. Seu primeiro romance, Train d’enfer pour ange rouge, foi nominado em 2004 ao prêmio SNCF du polar, o maior prêmio votado por leitores da França, que revela anualmente os novos talentos – franceses e europeus – da literatura policial. Em 2007, o romance La chambre des morts obteve o prêmio.

No Brasil, Thilliez teve dois de seus romances publicados pela Intrínseca: A Síndrome E e Gataca. Juntos, eles formam um díptico sobre a violência, trazendo como protagonistas a dupla de policiais Franck Sharko e Lucie Hennebelle – eles também aparecem, juntos ou separados, em vários outros livros do autor.

Como adoro um bom thriller e adoro literatura francesa, listar 5 motivos para ler Franck Thilliez é tarefa fácil! Bora lá conferir?!

1. Seus livros trazem um equilíbrio acertado entre thriller, romance policial e suspense, tudo sempre muito bem temperado com temas científicos e seus mistérios – geralmente acerca do cérebro humano. Em suas tramas, o autor mergulha no porquê das coisas, por exemplo, como uma criança chega a tornar-se um serial killer. Ler um thriller de Franck Thilliez é a certeza de encontrar muito mais que investigações ou perseguições, mas adentrar questões psicológicas e científicas, aproximar-se do cérebro doentio e chegar ao cerne das coisas. E ah, o autor é fascinado por serial killers...

2. Ao contrário do que normalmente imaginamos para um escritor, Thilliez nunca foi um leitor ávido; quando jovem, lia apenas o estritamente necessário (e só tinha olhos para Stephen King). É no cinema que se encontra sua grande fonte de inspiração! (Está explicado como ele faz para que sua narrativa seja tão imagética!) Durante a adolescência, assistia a tantos filmes de terror e thrillers quanto conseguia. Sua fascinação era tamanha que, apesar do medo e dos possíveis pesadelos que apareciam depois dos filmes, ele não podia deixar de assisti-los. Era o prazer de ter medo o que o dominava, sensação que hoje ele busca provocar nos leitores.



3. Seus personagens são seres verdadeiramente perturbados! Os mistérios que se colocam diante deles – decorrentes de uma sociedade já contaminada – só fazem descortinar seus fantasmas pessoais, seus medos e fraquezas, suas zonas obscuras. Franck Thilliez vai até o fundo do ser humano, e o resultado disso está longe de ser “bonitinho”. Questões relacionadas a paixões doentias, memória, esquizofrenia, loucura, normalmente fazem parte da essência de seus personagens.

4. Lucie Hennebelle e Franck Sharko estarão nas telonas! Isso mesmo: os direitos da série protagonizada pela dupla foram adquiridos pela produtora americana Indian Paintbrush Pictures (em associação com a Paramount), que já atuou na produção de longas de Wes Anderson e Jason Reitman. A primeira adaptação será a do intrigante A Síndrome E, cuja trama aborda a violência através do tempo. Como roteirista, Mark Heyman, responsável pelo roteiro de Cisne Negro.

5. Quando o assunto é thriller, Franck Thilliez tem preferências no mínimo interessantes. Como filme, Seven, de David Fincher; como autor, Stephen King (claro!); como livro, Tarântula, de Thierry Jonquet. Pessoalmente, confesso que essa escolha de livro me animou e muito: Tarântula é o thriller que inspirou o filme A Pele que Habito, do Almodóvar; li-o recentemente e posso dizer que o livro é nada menos que animal.

PRINCIPAIS OBRAS:
Train d’enfer pour ange rouge (2004) – não lançado no Brasil
La chambre des morts (2005) – não lançado no Brasil
La forêt des ombres (2006) – não lançado no Brasil
A Síndrome E (2010)
Gataca (2011)
Vertige (2011) – não lançado no Brasil
Atomka (2012) – não lançado no Brasil
Puzzle (2013) – não lançado no Brasil
Angor (2014) – não lançado no Brasil

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

6 COMENTÁRIOS

  1. Oi Aline!
    Parece ótimo e você foi extremamente convincente.
    Acho que começaria por "A síndrome E".
    É uma pena que só duas obras tenham sido lançadas no Brasil :/

    Beijos
    ​​​​LiteraMúsicas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, A Síndrome E é o primeiro deles que lançou no Brasil e recomendo que comece por ele para conhecer melhor a dupla de personagens protagonistas. Apesar de que os livros dele têm essa característica interessante de poderem ser lidos de forma independente sem que isso afete a trama.
      Enfim, A Síndrome E é genial e eu passei a me interessar muito pelo autor depois que li o livro. Bjs.

      Excluir
  2. Hum, nunca li nada de Franck, mas o fato dele gostar de Seven já é algo que curti!


    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helana, os livros dele são muito bons! Não só pelos mistérios em si, crimes e tal, mas porque ele penetra nessa parte do psicológico, até do psiquiátrico, da mente doente. Também mostra a sociedade como algo corrompido pelo mal, muito interessante. Beijooo.

      Excluir
  3. Amo os livros dele! Pena que só tem esses dois. Sabe se tem previsão de lançarem mais no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, as histórias dele realmente prendem o leitor, e toda essa parte científica que ele insere é fascinante. Olha, faz tempo que não ouço falar dele nas redes sociais da Intrínseca, mas imagino que eles devam em algum momento trazer mais livros dele. Ele tem um montão publicados, e devem ser tão bons quanto os dois que saíram por aqui. Tenho mais um dele (Vertige), só que em francês, e pretendo lê-lo assim que possível. ^^ Beijos!

      Excluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros