Quote da quinzena #16 | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme: Um Tio Quase Perfeito  Livros recebidos em abril  Resenha + Sorteio: Quer que eu desenhe? (vol.2)
Leituras de abril

Quote da quinzena #16

Agustín Fernández Mallo 17 de outubro de 2014 Aline T.K.M. 2 COMENTÁRIOS


Eu sei, ficou faltando um “Quote da quinzena” no comecinho de outubro, mea culpa. Apesar de achar que muitos de vocês não curtem tanto esse tipo de post – confere esse achismo meu?! –, cá estou com trechos selecionadíssimos de mais um livro que amei ter lido: Nocilla Dream, primeiro volume da Trilogia Nocilla, do espanhol Agustín Fernández Mallo.

Aviso aos navegantes: Nocilla Dream é um livro MUITO “viagem”, loucura mesmo, sabe. Profundo também. E, acima de tudo, extraordinário! Mas nem precisava dizer isso – vocês poderão conferir com seus próprios olhos nos quotes abaixo...

Retoca os lábios no retrovisor e a maquiadora avisa, Entramos no ar em um minuto! Nevada TV faz o especial Prostituição na Estrada. Aproximam o microfone e perguntam, De que você se sente mais orgulhosa, Sherry? O amor é um trabalho difícil, responde, amar é a coisa mais difícil que já fiz em toda a minha vida.

Carregamos dentro de nós um deserto que não avança, um tempo mineralizado e detido. Daí o “eu” consistir em uma hipótese inamovível que nos é atribuída no nascimento e que até o fim tentamos comprovar sem êxito.

Em qualquer road movie, o mais importante é o horizonte; mais cedo ou mais tarde ele tem de ser visto e significar algo por si mesmo, a fim de condensar naquele ponto longínquo o espírito do filme. Está constatado que, no cinema europeu, o horizonte significa perda ou melancolia; no cinema americano, esperança, ímã de pioneiros; e, no cinema chinês ou japonês, significa morte.

Todo mundo sabe que escrever é ter morrido. Só a morte passa a vida a limpo e a essa distância é capaz de reescrevê-la. Por isso, só o escritor é quem narra o mundo dos vivos a partir do mundo dos mortos.

Nessa noite, Clark diz a Sherry pela primeira vez, Você me deixa fazer uma degustação? E ela abre as pernas sem preâmbulos e responde com um sussurro, Vá direto ao foie gras. Os dois começam a rir com estrépito e nesse momento entendem que não precisam de mais ninguém, que eles sozinhos já se arranjam para sobreviver.

O nômade toma por lar uma ideia. Os grandes nômades são pessoas de ideias inamovíveis, à medida que vão deixando para trás pessoas e cidades. [...] Essa noite foi a mais nômade de todas, pois ele tomou como lar a ideia definitiva, a única involuntária, a morte.

Nocilla Dream, de Agustín Fernández Mallo.


Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

2 COMENTÁRIOS

  1. Adorei seu blog Aline ♥ Ja estou seguindo sei blog! *--*
    Te convido a conhecer o meu , acabei de postar um vídeo mostrando minha preparação de pele, espero que goste e quero te ver por lá em? rs beijoosss ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patty, fico feliz que tenha gostado do blog! Claro, darei uma passadinha no seu, sim! ^^ Bj,

      Excluir

Segue @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros