Cadê a literatura? | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme: Um Tio Quase Perfeito  Livros recebidos em abril  Resenha + Sorteio: Quer que eu desenhe? (vol.2)
Leituras de abril

Cadê a literatura?

À la française 19 de dezembro de 2011 Aline T.K.M. 4 COMENTÁRIOS

Para quem não sabe, no momento estou morando na cidade de Clermont-Ferrand (departamento de Puy-de-Dome), na França. E foi na edição de dezembro da revistinha do departamento que li uma notícia sobre o incentivo à leitura desde cedo – bem cedo. Trata-se de uma iniciativa muito legal: cada bebê nascido ou adotado no departamento recebe gratuitamente seu primeiro livro, no endereço de domicílio, entre o 3º e o 4º mês após o nascimento. Não é nem mesmo necessário que a família solicite. Cada ano, uma obra diferente é escolhida. A ação visa combater as desigualdades em relação ao acesso aos livros e à cultura literária, além de reforçar o fato de que, ao abrir um livro, os bebês dão os primeiros passos para um melhor desenvolvimento da linguagem. Além desta iniciativa, digna de ser tomada como exemplo, a midiateca departamental organiza desde 2010 uma programação especial para crianças de 6 meses a 6 anos de idade, que inclui espetáculos, encontros literários, exposições, leituras de contos e jogos para familiarizá-los com o universo da literatura.

Comecei o post compartilhando com vocês essa notícia porque ela me trouxe várias lembranças em relação a minha infância – mais precisamente à parte literária dos meus dias de criança –, e também para engatar um tópico sobre a disseminação da literatura entre as crianças.

Não me lembro de ter participado de eventos literários quando criança, mas é fato que desde cedo a literatura me encantava. Alguns livros continuam na minha memória e foram peça fundamental no desenvolvimento da minha paixão por literatura. São eles:


Os três continuam à venda, e acredito que também continuem a ser adotados pelas escolas. Li outros tantos livros também, mas estes foram os que mais me marcaram na infância (acho que li umas 20 vezes cada um!).

E a literatura não estava só nos livros! Quem foi criança em meados dos anos 90 certamente se divertia à beça com Castelo Rá-Tim-Bum. Quem não adorava quando as crianças entravam na biblioteca do castelo, habitada pelo Gato?! Lembro vivamente da Biba lendo poemas de Cecília Meireles – enquanto animações encantadoramente simples passavam na tela. Quer coisa mais linda que mostrar Cecília Meireles para as crianças de um jeito lúdico?

Grande parte do universo que embalou a infância de muitos durante os anos 90 foi perdida. Nostálgica demais? Talvez. Ainda assim, imagino que muitos concordem que a infância da geração nascida entre o início e o fim dos anos 80 teve um quê de mais especial, algo de mágico que hoje em dia – infelizmente – não existe mais. E a literatura – principalmente a brasileira – na TV infantil? Não sei aonde ela foi parar; se alguém souber, fique à vontade para se manifestar!

Apesar de tudo, é inegável que o cinema, através das adaptações, vem contribuindo bastante para a disseminação da literatura juvenil – ainda que a ênfase esteja nos jovens e não nos mais novinhos, e que a maioria massiva desse conteúdo venha de outros países. É incrível ver como personagens saem dos livros e ganham um espaço incrível em outros meios. Harry Potter com certeza foi divisor de águas em tal quesito.

Ainda que a literatura infanto-juvenil contemporânea tenha ótimas ferramentas para atrair as crianças e os livros para bebês se superem cada vez mais em criatividade, sou da opinião de que falta familiarizar os mais novos com alguns nomes consagrados da literatura nacional. Além do fator conhecimento, acredito que seria importante também no sentido de aprender a valorizar mais a literatura brasileira.

Inserir a literatura no dia-a-dia dos bebês; criar mais pontos de contato entre os grandes nomes da literatura nacional e as crianças; enraizar o gosto pela leitura e a importância de conhecer e reconhecer o que nosso país produziu e produz... Valorização da literatura brasileira = valorização da identidade e cultura nacionais. Meio utópico ainda? Espero realmente que, um dia, não mais o seja.

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

4 COMENTÁRIOS

  1. nossa, que projeto legal esse de distribuir livros^^
    eu leio desde pequena também, o primeiro que eu lembro de ter lido foi "Pocahontas", que era um livrinho que tinha mais figuras do que letras, mas me incentivou pra caramba.
    também amava gibis, principalmente a turma da Mônica^^
    e essa biblioteca do castelo ra-ti-bum... era um sonho né?

    realmente precisa haver muito mais incentivo pra literatura infantil

    megaa bjoo
    ;**

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do projeto da França, de distribuir livros às crianças. É um grande incentivo para apreciar a Leitura.

    ResponderExcluir
  3. Não tive uma infância como a sua, na verdade eu odiava ler até uns 12 anos.
    Mas, por experiência própria, acho que o certo não é incentivar a literatura nacional ou clássica às crianças, acho que é necessário deixar que primeiro elas criem gosto pela literatura com livros que ela achem divertidos e gostem. E aí sim incentivar livro com mais "conteúdo" como nossos clássicos e etc. Acho que aí sim eles vão conseguir entender as histórias e gostar delas.
    Adorei o post e acho que esse é um assunto que tem muito ainda a ser discutido..

    Beijoss
    Thaís - Berchim e etc

    ResponderExcluir
  4. Que lindo! Muito legal esse projeto! Iniciar uma criança na leitura é realmente o melhor caminho pra um futuro leitor apaixonado!

    E hey!, que lindo, não sabia que você está morando na França! Muito legal! Você lê mais livros em francês, ou em inglês, ou em português mesmo? E, se não for somente em francês, como você compra seus livros? E como é o mercado de YA por aí? Iiih, quantas perguntas, hahaha! Será que você já fez um post sobre isso? Vou procurar! Se não fez, taí a dica, de uma pessoa supercuriosa pelo mercado editorial internacional! ^^

    Beijos!

    ResponderExcluir

Segue @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros