‘Entre Tempos’: honesto, filme do italiano Valerio Mieli se apoia em fragmentos e memórias para contar a relação de um jovem casal | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: Duplo Eu  Resenha: Confissões do Crematório, de Caitlin Doughty  Resenha: O Cemitério, de Stephen King
Semana do Consumidor Amazon | Livros

‘Entre Tempos’: honesto, filme do italiano Valerio Mieli se apoia em fragmentos e memórias para contar a relação de um jovem casal

Cinema italiano 19 de agosto de 2019 Aline T.K.M. Nenhum comentário

Entre Tempos: honesto, filme do italiano Valerio Mieli se apoia em fragmentos e memórias para contar a relação de um jovem casal | Cinema

Fragmentos de memórias se unem e se intercalam para contar a história de um jovem casal, desde o momento em que se conhecem e ao longo das muitas voltas que a vida dá. Essa é a proposta de Entre Tempos, segundo longa do diretor italiano Valerio Mieli, que chega aos cinemas nesta semana.

O filme é uma grande colcha em que os retalhos são as memórias de Paolo (Luca Marinelli) e Ginevra (Linda Caridi). Paolo é mais fechado e melancólico; Ginevra é alegre, vivaz. Ao dividirem suas vidas, também suas personalidades acabam por se fundir e incorporar características do outro. Através das lembranças – sempre tingidas pela perspectiva de cada um dos personagens –, nos deparamos com os diferentes momentos da relação entre eles, alguns mais apaixonados e solares, outros mais infelizes.

Entre Tempos: honesto, filme do italiano Valerio Mieli se apoia em fragmentos e memórias para contar a relação de um jovem casal | Cinema

O tempo também opera transformações – pequenas e grandes – entre o casal. A passagem dele é muitas vezes denunciada apenas por um corte de cabelo ou pelas condições em que o personagem se mostra. Outras vezes, somos surpreendidos de forma abrupta pela visão de Paolo ou Ginevra ainda bem jovens, vivendo outros amores, ou memórias de infância que parecem pinceladas por certa fantasia.

E nós, espectadores, é que vamos costurando esses retalhos, essas lembranças e fragmentos dispersos no tempo, para nos darmos conta de que duas pessoas nunca vivem o mesmo momento da mesma maneira – a bagagem pessoal e as lentes através das quais cada uma enxerga o mundo cumprem um papel tão relevante quanto o acontecimento vivido.

Entre Tempos: honesto, filme do italiano Valerio Mieli se apoia em fragmentos e memórias para contar a relação de um jovem casal | Cinema

Assim como na vida real, é quase sempre impossível definir um ponto exato no tempo em que uma relação começa a perder o brilho, a desandar. O instante em que o amor começa a se esvair, ou até mesmo a renascer. Entre Tempos acerta ao trazer algo semelhante a uma caixinha de lembranças, todas misturadas, já que raramente as verdadeiras histórias de amor seguem uma jornada lógica e linear. O tempo corre, as pessoas mudam, o que fazia sentido passa a não mais fazer, e o inesperado pode brotar de repente.

Entre Tempos: honesto, filme do italiano Valerio Mieli se apoia em fragmentos e memórias para contar a relação de um jovem casal | Cinema

Convidando à reflexão sobre um instante específico ou sobre a vida, os diálogos são um dos aspectos mais especiais do filme, além da fotografia que remete à singeleza e dá um tom nostálgico – ora mais feliz, ora desesperançado.

Depois de ponderar um pouco, acho válido apontar a estrutura que não traz um crescendo, não apresenta um clímax, característica que pode incomodar alguns espectadores e fazer com que o filme aparente monotonia. Eu, pessoalmente, não tive essa visão.

Entre Tempos: honesto, filme do italiano Valerio Mieli se apoia em fragmentos e memórias para contar a relação de um jovem casal | Cinema

Entre Tempos é a trajetória do relacionamento entre dois jovens, é a diferença de perspectivas, é amor e paixão absolutos entre duas pessoas tão díspares, é encontro e desencontro, e é a vida ditando rumos opostos, mas, muitas vezes, caminhando de forma circular. Um filme bonito e honesto sobre os meandros das relações amorosas.

(Peço permissão para abrir um breve parêntese: se tiverem a chance, vale a pena ver o primeiro longa do diretor, Dez Invernos, que também traz uma história de amor e amizade entre dois jovens ao longo do tempo. Uma graça de filme; assisti há uns sete anos, quando morava na França, e depois nunca mais consegui ver de novo, não encontro em streaming nenhum.)

TRAILER E INFOS




Entre Tempos (Ricordi?) – 106 min.
Itália | 2018
Direção: Valerio Mieli
Roteiro: Valerio Mieli
Elenco: Linda Caridi, Luca Marinelli, Giovanni Anzaldo, Camilla Diana, Anna Manuelli, Eliana Bosi

Estreia: 22 de agosto

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 9 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Editoras Parceiras