Filme ‘A Noite Devorou o Mundo’: 7 ótimos motivos para assistir à adaptação do livro de Martin Page | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: Terra das Mulheres  Resenha: Esperando Bojangles  Resenha: Minotauro
Semana do Consumidor Amazon | Livros

Filme ‘A Noite Devorou o Mundo’: 7 ótimos motivos para assistir à adaptação do livro de Martin Page

Adaptação de livro 3 de julho de 2018 Aline T.K.M. Nenhum comentário

Filme ‘A Noite Devorou o Mundo’: 7 ótimos motivos para conferir a adaptação do livro de Martin Page

Como fã incondicional e confessa do escritor francês Martin Page, não vou esconder que A Noite Devorou o Mundo foi um filme que aguardei com a ansiedade nas alturas.

A adaptação, dirigida por Dominique Rocher, fez parte da programação do Festival Varilux de Cinema Francês 2018 e estreia nos cinemas esta semana.

Depois de uma noite de festa num apartamento, Sam (Anders Danielsen Lie) acorda sozinho e percebe que, além dos sinais de um possível massacre, as ruas de Paris foram tomadas por zumbis. Agora, ele precisa pensar na própria sobrevivência. Mas será que Sam é mesmo o único sobrevivente?

Misto de drama psicológico e terror, A Noite Devorou o Mundo não é aquele filme de zumbis com o qual estamos acostumados. E isso é incrível. Confiram aí 7 ótimos motivos para ver o filme no cinema:

Filme ‘A Noite Devorou o Mundo’: 7 ótimos motivos para conferir a adaptação do livro de Martin Page

1. Como vocês certamente sabem – e quem não sabia, agora também já sabe –, A Noite Devorou o Mundo é baseado no livro homônimo de Martin Page, que o assina com o pseudônimo e anagrama Pit Agarmen. O legal é que Page deu total liberdade para a composição do roteiro, o que resultou num longa tão sensacional quanto o livro, mas com identidade e elementos próprios.

2. Zumbis! Ou melhor, o que eles representam. Já vou avisando: não esperem por um terror de zumbis como qualquer outro já visto. Aqui, eles são concebidos com um teor mais realista e não ocupam o centro da narrativa. Na verdade, o foco está no protagonista e em seu interior.

Apesar de reais, os zumbis apenas vêm reforçar a solidão e o afastamento de Sam na relação com os demais. Essas figuras monstruosas e canibais nada mais fazem que refletir os próprios seres humanos odiosos que um dia foram. E Sam, que já revelava ser uma pessoa emocionalmente solitária e introspectiva, agora apenas se vê sozinho e ilhado também no plano físico.

Filme ‘A Noite Devorou o Mundo’: 7 ótimos motivos para conferir a adaptação do livro de Martin Page

3. O som – e também o silêncio – tem papel essencial aqui. Se no livro o protagonista é um escritor (bastante insatisfeito com o mundo e com as pessoas, diga-se de passagem), no filme Sam é músico e tem uma relação bastante íntima com o som. É através dele que suas lembranças mais antigas vêm à tona, e é também o meio usado por ele para externalizar os sentimentos mais diversos – euforia, angústia, raiva, frustração.

A ausência de som também é constante. Os pouquíssimos diálogos e monólogos provam que o silêncio pode sufocar tanto quanto uma festa num apartamento abarrotado de gente.

4. A partir da constatação de que está sozinho e ilhado no apartamento enquanto a ameaça dos zumbis domina as ruas, Sam inicia uma trajetória de degradação lenta, mas constante. A solidão, a necessidade de racionar mantimentos e de manter certo controle quanto à passagem do tempo, a falta de interação social, tudo isso contribui para que ele se torne uma espécie de náufrago vivendo uma metáfora dos dias atuais – e apontando um dedo sarcástico na cara do espectador.

Filme ‘A Noite Devorou o Mundo’: 7 ótimos motivos para conferir a adaptação do livro de Martin Page

5. O ator Anders Danielsen Lie, que interpreta Sam, influenciou de maneira determinante o roteiro do filme. Elementos de sua vida pessoal foram incorporados ao personagem – Anders também estudou música – e algumas gravações que Sam escuta em fitas cassete durante o filme são gravações reais do ator quando criança.

6. Não costumo ficar falando de fotografia dos filmes por aqui, mas neste caso vale dedicar atenção especial a esse aspecto. As cores utilizadas – tons frios, vez ou outra pontuados por elementos quentes, em contraste com o vermelho total e hostil da festa no início do longa – contribuíram perfeitamente na construção da atmosfera da trama. Além disso, as panorâmicas e as tomadas das ruas praticamente desertas, os telhados de Paris e, mais especificamente, o topo do prédio no qual Sam se encontra, são um plus mais que bem-vindo.

7. A Noite Devorou o Mundo é o primeiro longa-metragem de Dominique Rocher e é um ótimo exemplar de cinema de gênero. Além disso, uma curiosidade é que foi filmado em duas versões, francês e inglês.

TRAILER E FICHA TÉCNICA




A Noite Devorou o Mundo (La nuit a dévoré le monde) – 93 min.
França – 2018
Direção: Dominique Rocher
Roteiro: Dominique Rocher, Guillaume Le Mans e Jérémie Guez, baseado no livro de Pit Agarmen (Martin Page)
Elenco: Anders Danielsen Lie, Golshifteh Farahani, Denis Lavant, David Kammenos, Sigrid Bouaziz, Jean-Yvez Cylly

Estreia: 5 de julho

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 8 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Editoras Parceiras