4 motivos para ver É Apenas o Fim do Mundo, o novo – e visceral – filme de Xavier Dolan | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme: Um Tio Quase Perfeito  Livros recebidos em abril  Resenha + Sorteio: Quer que eu desenhe? (vol.2)
Leituras de abril

4 motivos para ver É Apenas o Fim do Mundo, o novo – e visceral – filme de Xavier Dolan

Drama familiar 24 de novembro de 2016 Aline T.K.M. Nenhum comentário

4 motivos para ver o filme É Apenas o Fim do Mundo, de Xavier Dolan

Não é segredo que sou fã do cinema francês (e francófono), assim como de seus cineastas, atores e atrizes. Por isso, fico feliz de vir aqui falar de um filme dirigido por um cara cujo trabalho eu venho admirando cada vez mais a cada filme que eu descubro. Esse cara é Xavier Dolan. É Apenas o Fim do Mundo é seu filme mais recente como diretor, em cartaz nos cinemas a partir de hoje.

Nascido em Montreal, o diretor de Eu Matei a Minha Mãe, Amores Imaginários e Mommy, acumula uma já extensa filmografia como cineasta e também como ator. Com apenas 27 aninhos nas costas – meeeeu, ele é mais novo que eu! –, Dolan já dirigiu 6 filmes e é reconhecido internacionalmente, além de ter sido premiado em diversos festivais de cinema.

Mas voltemos ao filme em pauta! É Apenas o Fim do Mundo foi baseado na peça de teatro homônima, de Jean-Luc Lagarce, e inicia com um homem – Louis, um escritor e dramaturgo de sucesso, de 34 anos de idade – que, após uma ausência de doze anos, volta para visitar a família e comunicar que irá morrer em breve.

Estamos falando de um filme de Xavier Dolan, portanto, já fica a ideia de que esse encontro não será uma simples reunião de família, e o motivo nem é a triste notícia levada pelo protagonista.

É Apenas o Fim do Mundo, de Xavier Dolan

Na verdade, ao encontrar essa família, composta pela mãe, uma irmã mais nova – quase uma estranha, dado o tempo de ausência –, um irmão violento e uma cunhada extremamente tolhida, Louis encontra também um poço transbordante de mágoas, nervos à flor da pele e solidão. A atmosfera, antes de alegria, torna-se pesada e as brigas acontecem uma após a outra, tanto por razões bobas como por ressentimentos antigos.

Psicológico, É Apenas o Fim do Mundo mostra uma família afundada em dores pessoais, que não consegue se comunicar nem refazer os laços que um dia, lá no passado, vieram a ter. Não é um filme “fácil” e justamente por isso vale a pena encarar um mergulho nesse universo de desconforto de Xavier Dolan.

Sei que já falei bastante sobre o filme, mas mesmo assim fiz questão de pontuar 4 aspectos que fazem de É Apenas o Fim do Mundo um filme que vale ser visto e sentido.

CONFLITOS FAMILIARES, FALTA DE COMUNICAÇÃO E SOLIDÃO

Filme: É Apenas o Fim do Mundo, de Xavier Dolan

Mais uma vez, Xavier Dolan traz um tema recorrente em sua filmografia: o dos conflitos familiares. Tema que, como descobrimos ao nos aproximarmos mais da trajetória de Dolan, reflete em algum grau sua própria vida.

No entanto, longe de apenas meros problemas familiares, o que o jovem cineasta coloca em seus filmes são verdadeiras perturbações, comunicação ruidosa – e, por isso, inexistente –, mágoas e muita raiva contida. Enfim, uma grande panela de pressão a ponto de explodir.

Em É Apenas o Fim do Mundo, cada indivíduo parece um mundo isolado, avulso, mas forçadamente trancado num pequeno espaço representado pela família. Uma família fechada em dores e incompreensibilidade, que por vezes só tem a agressividade como ferramenta canhestra para suas relações. A falta de comunicação, e mesmo de uma conexão, entre essas pessoas é gigante e chega a incomodar, uma vez que o filme transmite todo um conjunto de sensações de maneira muito intensa.

Louis é praticamente um desconhecido dentro da família, que o acompanha por meio da mídia e admira suas realizações profissionais, mas nada sabe de sua vida pessoal – o contato entre eles se restringe a cartões-postais de aniversário enviados por Louis. Seu afastamento não é de todo esclarecido, mas percebemos que a homossexualidade é um fator importante na trama – temos vislumbres de lembranças antigas e dolorosas de Louis, ligadas a um relacionamento que ficou no passado.

ELENCO DE PESO

Elenco do filme É Apenas o Fim do Mundo, de Xavier Dolan

O longa traz nomes de peso do cinema francês, como o protagonista Gaspard Ulliel; as aclamadas atrizes Nathalie Baye, Marion Cotillard e Léa Seydoux; e Vincent Cassel. É difícil não querer assistir a qualquer coisa que seja com um elenco desses, não?!

PRÊMIO DO JÚRI EM CANNES


Apesar de não ter sido bem recebido pela crítica – o filme foi vaiado na primeira sessão para a imprensa –, É Apenas o Fim do Mundo recebeu o Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2016. Este é o segundo Prêmio do Júri de Xavier Dolan – o primeiro foi com Mommy, em 2014 – e praticamente todos os seus filmes foram exibidos no festival.

VISCERAL E ASFIXIANTE

Filme: É Apenas o Fim do Mundo, de Xavier Dolan

Quem conhece o cinema de Xavier Dolan sabe que tudo é muito visceral em seus filmes. Aqui as coisas não são diferentes e É Apenas o Fim do Mundo promete agradar àqueles que curtem filmes mais pesados e de atmosfera densa.

Intensos, os closes frequentes nos personagens vão além do intimismo, são quase claustrofóbicos, dando-nos a impressão de confinamento, de querer sair de um lugar (ou situação) e não poder.

É Apenas o Fim do Mundo também é sensível, daquele tipo de sensibilidade que quer extrapolar a todo custo, mas que é constantemente abafada e sobreposta pela hostilidade dos atos e palavras. A tristeza chega a ser sufocante e essa sensação de sufoco ultrapassa os limites psicológicos para se instalar também no plano físico – conforme o dia avança, o calor fica mais intenso e castiga as pessoas naquela casa, que vão ficando cada vez mais suadas, chegando ao desfecho com os cabelos completamente molhados.

TRAILER E SINOPSE


Após 12 anos de ausência, o escritor Louis (Gaspard Ulliel) retorna a sua cidade natal para encontrar a família e comunicar que irá morrer em breve. No entanto, a falta de comunicação e afeto fazem com que a reunião familiar tome rumos diferentes do planejado, enquanto os ressentimentos e lembranças dolorosas emergem à superfície.

É Apenas o Fim do Mundo (Juste la fin du monde) – 97 min.
Canadá/França – 2016
Direção: Xavier Dolan
Roteiro: Xavier Dolan
Elenco: Gaspard Ulliel, Marion Cotillard, Léa Seydoux, Nathalie Baye, Vincent Cassel

Estreia: 24 de novembro

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Segue @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros