Livro + filme: 1984 | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
3 motivos para ver Descendentes 2, o novo filme do Disney Channel  Resenha: Civilizações – A Fonte: dois mundos, uma jornada, de Wallace Horta  Making of O Reino Gelado – Fogo e Gelo: com Larissa Manoela, João Guilherme, João Côrtes e Lipe Volpato
Leituras de abril

Livro + filme: 1984

Clássicos 15 de agosto de 2014 Aline T.K.M. 14 COMENTÁRIOS


1984 é uma das leituras de que mais gostei até hoje. Distopia futurista sensacional, o livro do George Orwell é um clássico moderno tido como “um dos romances mais influentes do século XX”.

Há coisa de dois meses assisti à adaptação cinematográfica (a de Michael Radford, produzida no próprio ano de 1984) e minha opinião sobre o filme foi bem dividida. Se por um lado as explicações apareceram de maneira resumida até demais (e veja bem, o filme nem é curto), por outro, a atmosfera do livro foi muito bem reproduzida. Sem mencionar a trilha sonora, que julguei perfeita para a trama.

Enfim, se o livro é nota 10, o filme ficaria ali nos 6,5 ou 7. Mesmo assim, acho bacana experimentar essas duas visões, peculiares à sua maneira, de uma mesma história.

Também existe outra adaptação, rodada em 1956 e da qual não sei muito a respeito. E ainda, como vocês já devem ter ouvido falar, uma nova adaptação vem aí – mais romantizada, segundo dizem. Dirigido por Drake Doremus, o filme tem o título de Equals e começa a ser produzido este ano. No elenco, Kristen Stewart e Nicholas Hoult.

Enquanto isso, fiquem com o livro (sempre!) e com esta que é a adaptação mais famosa dele:

LIVRO: 1984, de George Orwell, Companhia das Letras
SINOPSE: Winston vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho. Ninguém escapa à vigilância do Grande Irmão, a mais famosa personificação literária de um poder cínico e cruel ao infinito, além de vazio de sentido histórico.

Em seu trabalho, Winston é responsável por alterar as informações veiculadas pelos jornais, manipulando a verdade conforme a vontade do Estado. E é ali, no ambiente de trabalho, que Winston descobre a paixão e os prazeres carnais – proibidos pelo Partido. Ainda, em um canto do seu alojamento, entrega-se a infrações como, por exemplo, escrever os próprios pensamentos em um caderno.

Publicado originalmente em 1949, meses antes da morte do autor, o livro experimentou um enorme sucesso de público graças a seus principais ingredientes: um homem sozinho desafiando uma tremenda ditadura, sexo furtivo e libertador, e horrores letais.

Muitos leram 1984 como uma crítica devastadora aos belicosos totalitarismos nazifascistas da Europa, de cujos terríveis crimes o mundo ainda tentava se recuperar. Nos Estados Unidos, foi visto como uma fantasia de horror quase cômico voltada contra o comunismo da hoje extinta União Soviética, então sob o comando de Stálin e seu Partido único e inquestionável.

No entanto, superando todas as conjunturas históricas - e até mesmo a data futurista do título -, a obra ainda se impõe como uma poderosa reflexão ficcional sobre os excessos delirantes, mas perfeitamente possíveis, de qualquer forma de poder incontestado, seja onde for. Leia o review do livro.

FILME: 1984 (Nineteen Eighty-Four – 1984, dirigido por Michael Radford, Reino Unido, 1984)
http://youtu.be/p2t239pJNJM

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

14 COMENTÁRIOS

  1. Eu NÃO POSSO chegar aos 18 anos sem ler este livro. Morrer tá longe demais (se Deus quiser). Parece ser incrível e eu amo críticas implícitas ou não tão implícitas assim!

    Clara
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é O LIVRO! Leiaaa o quanto antes, sério! Quanto ao filme, é um plus, nada obrigatório, mas interessante de conferir. =)

      Excluir
  2. Uma hora acabo criando vergonha na cara e lendo esse livro. Agora, essa versão "romantizada"... é melhor que deixem bem claro na época do lançamento que é uma adaptação beeeeeeeeem por cima do livro, senão vão crucificar a Kristen Stewart de novo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, esse "romantizada" me deixa com várias pulgas atrás da orelha haha, mas como bem me conheço, sei que não aguentarei a curiosidade e acabarei por conferir o filme. Sobre o livro, lê sim, é sensacional.

      Excluir
  3. Olá tudo bem? primeiramente queria te dizer que achei seu blog através do Paradise e eu amei seu cantinho!

    Sobre o filme e livro foi uma grata surpresa descobrir que tem filme! Eu não sabia!!! vou ver com certeza!!! eu amo distopias e venero a obra pioneira do gênero!

    Se quiser conhecer o meu cantinho também sera super bem vinda!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! Que legal, fico feliz de verdade em saber que você curtiu o blog! =) Bom, se você já é fã do livro, acho legal ver o filme, até para dar uma "imagem" a tudo o que você imaginou lendo. Mas não espere que vá ser igual ou tão bom quanto; é interessante, e só. Vale a pena, em todo caso.

      Excluir
  4. Também é um dos meus livros preferidos, por isso apesar do "medo" de decepcionar muito e da certeza de não ser tão digno da obra, tenho muita curiosidade em assistir e pretendo fazê-lo em breve. Já tinha lido comentários e você confirmou minha impressão de que não é lá grande coisa, mas vale a pena ver. Como a avaliação desse e do outro produzido em 1956 é praticamente a mesma, ficarei com o mais recente, que é mais conhecido e mais fácil de encontrar. Já desse Equals eu pretendo passar longe. Não gostei do que li a respeito, tenho medo do que seja esse "romantizado" e a escolha do elenco também reforça minha sensação de que será um grande insulto a esse clássico. Não deveria tirar conclusões precipitadas, mas não consigo evitar. Aliás, torço muito para que algo aconteça e desistam de produzi-lo, haha. ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, esse filme mais "recente" vi por acaso porque passou na TV a cabo, sabe. Agora, o de 1956 eu não sei se veria, apesar de ter sim alguma curiosidade. Quanto a Equals, eu acho que vou acabar assistindo hahaha, não dá, vou ficar muito curiosa, mas não vou cheia de expectativas, não. Huahuah olha, se desistirem de produzi-lo, confesso que não vou chorar de tristeza.

      Excluir
  5. Oi,

    já li o livro e amei, mas confesso que não tenho muita vontade de ver o filme...

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, o filme é mais um "algo a mais" mesmo, nada que seja assim obrigatório, sabe. E mesmo assim, só recomendo a quem já leu o livro, senão imagino que vá ser meio frustrante a falta de maiores explicações.

      Excluir
  6. Ainda não tive a oportunidade de ler o livro, mas tenho muita vontade de lê-lo. Já li um livro do autor e gostei bastante.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, então lê sim 1984, o livro é genial e se você já curtiu a escrita do Orwell, vá em frente! Bom, eu pretendo ler outras obras dele, tenho A Revolução dos Bichos e espero conseguir ler em breve.

      Excluir
  7. Não li o livro por um certo "medo" da densidade e não entender a mensagem do autor, o filme já procurei completo pela internet e também não achei, confesso que tenho mais vontade de conferir o "resumo" pra ver se gosto e vou pro livro.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina, lê sim, e vai sem medo porque, apesar de denso, o livro é muito acessível. Tudo é bem explicado, as reflexões são desenvolvidas, enfim, é tudo muito interessante, o universo criado é fascinante e de fácil entendimento. Não recomendo "estragar a surpresa" com um resumo... Vai para o livro direto! =)

      Excluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros