As Lembranças [David Foenkinos] | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme: Um Tio Quase Perfeito  Livros recebidos em abril  Resenha + Sorteio: Quer que eu desenhe? (vol.2)
Leituras de abril

As Lembranças [David Foenkinos]

À la française 17 de janeiro de 2014 Aline T.K.M. 3 COMENTÁRIOS


Finalista do prêmio literário francês Goncourt em 2011, As Lembranças, como sugere o próprio título, é um romance de memórias, recordações de toda uma vida – ou quase.

A morte do avô – a quem ele não conseguiu dizer que amava – é o estopim para um jorro contínuo de lembranças. Não apenas do próprio protagonista, que as narra em primeira pessoa, mas também lembranças de seus familiares e conhecidos, de personalidades famosas e, ainda, de gente improvável, anônima até para o próprio narrador.

Mais que meros acessórios, essas recordações alheias surgem na forma de minicapítulos, rompendo momentaneamente o encadear da memória do protagonista. Uma das principais delícias do texto, tais flashes são como um curioso e descontraído parêntese, um respiro repentino que permite ao leitor tomar um ar fresco e voltar à trama central logo em seguida – característica semelhante à empregada por Foenkinos em A Delicadeza.

Após a perda do avô por causa de um sabonete, o narrador protagonista tem de lidar com a mudança da avó para uma casa de repouso, ambiente cuja maior diversão durante as visitas do neto era falar mal da comida e contemplar a feiura do quadro de uma vaca pendurado no corredor. A fuga inesperada da idosa aproximará neto e avó ainda mais, fazendo-os percorrer locais e encontrar pessoas – sobreviventes em uma vasta memória.

A dificuldade dos pais perante o início da aposentadoria (o que fazer com o tempo de sobra?), a relação (ou a falta dela) com o pai, o desejo de escrever um romance e a chegada do amor. Os dramas do cotidiano se misturam às passagens felizes e melancólicas da vida do protagonista; vida que às vezes é como um ambiente inóspito, onde as muitas esperas só fazem desolar, mas também onde as melhores coisas chegam de repente, de maneira imprevisível.

Densa e reflexiva, a narrativa encontra momentos de leveza no fator inusitado e no bom humor. O trajeto pelas lembranças desse homem ainda jovem acaba mostrando sinais de circularidade. Tal qual um colorido carrossel, algumas doces recordações são revividas com sabor semelhante ao longo das diferentes gerações de sua família; um verdadeiro reconforto e enternecimento à alma.

Ora cheio de cores vivas ora monocromático, As Lembranças fala da vida e do tempo por meio de uma linguagem única. Erros e acertos, esperas e sonhos abandonados no meio do caminho. No fim tudo parece ter sua razão de ser, assim como experimentar um prazer quase infantil ao acompanhar uma criança pequena a um teatro de marionetes no parque.

LEIA PORQUE...
Extremamente bonito, o livro traz tristeza e felicidade andando lado a lado, ocorrendo simultaneamente.

DA EXPERIÊNCIA...
Tão delicioso quanto ler O sentido de um fim, do Barnes. Ainda que As Lembranças seja mais otimista, a temática parecida faz com que os dois livros se complementem de certa maneira.

FEZ PENSAR EM...
Brilho eterno de uma mente sem lembranças. Evocado pelo narrador em determinado momento da trama, o filme está entre meus prediletos por mostrar quão dolorosas podem ser as lembranças de uma pessoa e até que ponto se chega para não sofrer as dores que elas infligem.

Título: As Lembranças
Título original: Les souvenirs
Autor(a): David Foenkinos
Tradução: Carlos Nougué
Editora: Rocco
Edição: 2012
Ano da obra: 2011
Páginas: 264

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

3 COMENTÁRIOS

  1. Cara de ser daquelas leituras que emocionam mesmo e nos faz refletir. Gostei, não conhecia esse livro. Sempre encontro algumas coisas diferentes quando venho aqui... o blog sempre foge da modinha ;)

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha ouvido falar desse livro. Fiquei super interessada. É o estilo que me chama a atenção.

    Bjs
    Niii
    http://amordelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. A capa desse livro me lembrou muito outro que tem uma capa parecida, mas quando comecei a ler sua resenha lembrei-me logo de "Sete Dias Sem Fim" que também trata de relacionamento familiar e luto.

    Vou tentar ler "As Lembranças" ;)

    Beijos.
    http://www.conversacult.com.br/

    ResponderExcluir

Segue @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros