Lugar literário: Parc des Buttes-Chaumont | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: Sopa de Lágrimas, de Gilbert Hernandez  3 hábitos musicais de hoje e da minha adolescência  My Little Pony – O Filme: 4 motivos para assistir
Leituras de abril

Lugar literário: Parc des Buttes-Chaumont

À la française 19 de novembro de 2013 Aline T.K.M. 7 COMENTÁRIOS


Uma das coisas de que mais gosto é viajar. Quando acontece de unir esse prazer a uma visita a algum lugar literário ou cinematográfico, é impossível não me sentir realizada. Às vezes esse tipo de visita acontece por acaso, como quando fui a Key West e me descobri a quarteirões da casa de Hemingway.

Mas o local do qual falarei aqui foi uma visita planejada e, também, intimamente obrigatória – gênero “não vou me perdoar se não botar os pés naquele lugar”. E o tal lugar é o Parc des Buttes-Chaumont, em Paris. Para aqueles que não leram A libélula dos seus oito anos, entendam a seguir o caráter obrigatório da minha visita – que aconteceu em abril de 2012.

O Buttes-Chaumont é o local de onde Fio Régale, a protagonista do livro do Martin Page , tirava seu ganha-pão. De maneira astuta e suficientemente atrevida, a garota enviava cartas a pessoas importantes pedindo dinheiro em troca de seu silêncio. Assim, sem dar detalhes e supondo que sabia de tudo. Fórmula certeira, já que toda personalidade, invariavelmente, tem algo a esconder.

O envelope com o dinheiro deveria ser deixado justamente em um cantinho sob uma pedra, no parque em questão. Enquanto isso, Fio pintava quadros, estrategicamente posicionada de forma a enxergar quando sua “vítima” houvesse deixado o dinheiro no local combinado. Passado algum tempo, ela sorrateiramente recolhia o pacote como se o tivesse encontrado por obra do acaso.



O Buttes-Chaumont é o terceiro maior parque de Paris; paisagístico, foge do padrão dos jardins ditos “à francesa”. Antiga região de pedreiras, o local foi também utilizado como depósito de todo tipo de lixo e dejetos. Foi Napoleão III quem decidiu transformá-lo em um suntuoso jardim.




Foto da esquerda: patinhos simpáticos.



O parque foi inaugurado em 1º de abril de 1867. As antigas pedreiras foram transformadas em um lago e uma gruta com falsas estalactites, cascatas e riachos. Sobre a ilha rochosa no centro do lago revela-se o pequeno e romântico Templo de la Sybille, inspirado no Templo de Vesta, em Tivoli, na Itália.



Estava tendo uma sessão de fotos sobre a ponte esse dia (reparem na modelo de vestidão).
No alto, acima da ponte, o Temple de la Sybille.







Porque Fio é uma das minhas protagonistas mais queridas; pela excentricidade do que ela fazia no local; porque o Buttes-Chaumont é um belo parque e mesmo assim não é parada óbvia de turistas... É por tudo isso que eu precisava conhecer esse lugar.


Esta flor estava jogada no chão, perto do lago.

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

7 COMENTÁRIOS

  1. Não conhecia, e achei Incrível esse parque; diferente dos poucos que já visitei.
    Deve ser ótimo ir para a outro país e conhecer lugares mencionados em filmes ou livros.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, sensacional esse post. Adorei conhecer esse lugar, totalmente diferente e lindo!

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  3. Deve ser muito bacana mesmo você visitar um lugar que é descrito em algum livro.
    Infelizmente, ainda não tive uma oportunidade assim. Pra falar bem a verdade, nem sequer tenho em mente algum lugar em que gostaria de visitar... :(

    Parabéns pela postagem!

    http://www.comabocanomundo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, é um momento meio mágico, assim como estar num lugar onde foi gravado um filme que você gosta, sabe. Que nem eu disse, tem vezes que acontece meio sem querer, você está num lugar e aí descobre que tem algo literário por lá, às vezes você planeja... Mas sempre é delicioso!

      Excluir
  4. Oi Aline, tudo bem?

    Viajar é uma delícia e unir isso com nosso amor pela literatura então, é incrível! Esse ano fui pro Chile e conheci a casa do Pablo Neruda, meu sentimento foi tão forte, sei lá, até parece que eu fazia parte de tudo aquilo, rsrs E olha que nem conhecia o trabalho do autor.

    Não conheço esse livro, mas achei a protagonista BEM espertinha! hahaha É claro que todo mundo ia ficar com medo e mandar dinheiro para ela, e nada melhor do que escolher um lugar publico como um parque - que por sinal é LINDO!

    Beijos

    Pah, Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que linda essa sua experiência no Chile! Acho que foi meio assim comigo quando conheci a casa do Hemingway, pois nunca li nada dele ainda, só sabia da figura quase mítica que ele ainda é.
      Hahaha pois é, essa personagem é sensacional, aliás tudo nesse livro é demais. Eu o amo, né, então sou suspeita para dizer!
      Beijo.

      Excluir
  5. Não conhecia, mais esse ludar é linnndo!
    Bjs todo sucesso do munnndo,
    Segue meu blog ??
    Link: http://maniaroxa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros