Crônica de uma Morte Anunciada [Gabriel García Márquez] | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme: Um Tio Quase Perfeito  Livros recebidos em abril  Resenha + Sorteio: Quer que eu desenhe? (vol.2)
Leituras de abril

Crônica de uma Morte Anunciada [Gabriel García Márquez]

Gabriel García Márquez 17 de maio de 2010 Aline T.K.M. 8 COMENTÁRIOS

O anúncio da morte de Santiago Nasar marca o início de Crônica de uma Morte Anunciada. Tudo começa com o casamento (sem amor) de Bayardo San Román e Ângela Vicário. Ela, não sendo virgem, é aconselhada por suas amigas a fingir a pureza inexistente, porém acabou não o fazendo e foi devolvida pelo marido na primeira noite. Interrogada pelos irmãos a respeito de quem teria sido o responsável por desvirginá-la, Ângela, sem pensar muito, entrega o nome de Santiago Nasar, e assim acaba por escrever a sentença final do rapaz.

A fim de devolver a honra a sua família, os gêmeos Pedro e Pablo Vicário decidem matar Santiago Nasar com as facas de abater porcos, e o anunciam incansavelmente a cada um que cruza seu caminho, na esperança de que alguém os impeça de cometer o crime. O anúncio da morte provoca preocupação em alguns, mas também descrença em outros e, dentro de poucas horas, toda a comunidade já sabe que matarão Santiago Nasar, com exceção dele próprio. No entanto, ainda que todos soubessem da desgraça que ocorreria, ninguém realmente impediu a morte.


Apesar de conhecermos a trágica sentença de Santiago Nasar logo na primeira página de Crônica de uma Morte Anunciada, a narrativa é tão instigante que torna impossível largar o livro antes de chegar ao final. Os acontecimentos são contados com uma velocidade feroz – assemelhando-se a uma produção jornalística – por um narrador que deseja desvendar a história juntando as peças de um quebra-cabeça. Ele colhe depoimentos das pessoas da comunidade e, tal como ocorre em uma investigação, existe a divergência. Muitos se lembravam do dia como uma “manhã radiante”, já outros insistiam no tempo ruim e céu sombrio.

Desde o momento em que Ângela Vicário nos revela o nome de Santiago como sendo aquele que a desvirginara, o narrador carrega a dúvida (e nós, leitores, também) sobre se Santiago seria mesmo o autor do ato ou se, culpando-o, Ângela na verdade encobria o nome de um possível amante. Os infelizes acontecimentos ecoaram por muitos anos na vida de Bayardo San Román e Ângela Vicário, fazendo-se presentes em forma de solidão; mas, também, acabaram por revelar para ambos uma luz no fim do túnel.

O momento em que os gêmeos Vicário matam Santiago Nasar é realmente singular, mas não vou revelá-lo por completo, de chofre, aos possíveis futuros leitores do livro. Assim, atenho-me a destacar o momento em que Pablo Vicário lhe deu uma facada no ventre e “os intestinos completos afloraram como uma explosão”. Alucinado, Santiago Nasar caminha “amparando com as mãos as vísceras penduradas” e, ao ser perguntado sobre o que lhe havia passado, ele apenas responde: “Me mataram (...)”.

É interessante como a obra nos mostra preconceitos e comportamentos demasiado arcaicos (se pensarmos nos dias de hoje) tão cravados na comunidade que acabam sendo normalmente aceitos, inclusive pelos vitimados, levando a que o crime adquira o papel de consequência irremediável e até necessária. Ao haver tanta gente avisada da morte e curiosa quanto aos últimos momentos de Santiago Nasar, é de admirar que ninguém o tenha visto lá pelos finais de seu trajeto para alertá-lo. Em resposta, o autor nos coloca uma frase, mais como uma reflexão, com a qual finalizo este texto: “A fatalidade nos faz invisíveis”.

Título: Crônica de uma Morte Anunciada
Autor(a): Gabriel García Márquez
Ano da obra: 1981

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

8 COMENTÁRIOS

  1. Oi Aline,
    olha, eu tenho bastante dificuldade em ler Gabriel Garcia Marques, mas a sua resenha ficou tão bem-feita q deu até vontade de ler esse livro.
    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Oi menina, temos entrevista e sorteio no blog.

    Um beijao

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Teu blog tá muito fofo.
    A diversidade e qualidade nas resenhas, parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nenhum livro dele, mas tenho muita vontade. Mas acho que vou ter muita dificuldade.
    Ótima resenha
    :*

    ResponderExcluir
  5. Olá me chamo Lucas, gostaria de saber se você gostaria de fazer parceria com meu blog?
    Meu blog vai falar sobre livros, filmes, séries, musica e tudo sobre cultura em geral! Meu blog é: http://shufflecult.blogspot.com/ Aguardo contato!

    ResponderExcluir
  6. Oi... primeiro pesquisava sobre nomenclatura do ballet (eu sou uma iniciante aos 30 anos)... daí cheguei até esse outro blog. De uma paixão platônica e incubada que precisou de 30 anos para eu assumi-la a uma outra grande paixão declarada e descarada que é a literatura, encontrei você e seus blogs... já virei fã e seguidora.

    PS: só um pedido... não deixa o blog sobre dança de lado... please.

    Ah! Do Gabriel (ô intimidade) eu gostei do Doze Contos Peregrinos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Fico super feliz que vocês tenham gostado da resenha. Eu AMO García Márquez, é um dos meus autores favoritos!

    VaneZa: é, eu sei que deixei o blog de dança, é que eu já não tinha muito o que escrever, sabe. Me sinto bem mal por isso, odeio começar algo e desistir.. Adorei sua visitinha, venha mais vezes!

    ResponderExcluir
  8. Agora, sim! Estou seguindo. Ontem o teu blog estava de implicância comigo e não me deixou segui-lo.

    ResponderExcluir

Segue @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros