‘O Ano de 1985’: delicado e sem exageros, filme de Yen Tan aborda relações familiares durante a primeira onda da Aids | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Resenha: O Fazedor de Velhos  Resenha: HQ Intrusos  Série | Juacas 2ª temporada: 5 motivos para assistir
Semana do Consumidor Amazon | Livros

‘O Ano de 1985’: delicado e sem exageros, filme de Yen Tan aborda relações familiares durante a primeira onda da Aids

Aids 24 de abril de 2019 Aline T.K.M. Nenhum comentário

O Ano de 1985: delicado e sem exageros, filme de Yen Tan aborda relações familiares durante a primeira onda da Aids | Cinema

Originado a partir do curta-metragem 1985 (disponível no Vimeo, em inglês), o filme O Ano de 1985 chega aos cinemas com a história de um jovem e suas relações familiares em meio à primeira onda da Aids nos Estados Unidos.

Estrelado por Cory Michael Smith, o longa também conta com Virginia Madsen e Michael Chiklis no elenco. A direção é de Yen Tan.

O Ano de 1985: delicado e sem exageros, filme de Yen Tan aborda relações familiares durante a primeira onda da Aids | Cinema

Em O Ano de 1985, o jovem Adrian (Cory Michael Smith), que após três anos vivendo em Nova York, retorna à sua cidade no Texas para passar o Natal com a família. Enquanto a primeira onda da epidemia da Aids dá as caras, Adrian sofre a perda de pessoas próximas e se esforça para fortalecer os laços com os pais religiosos, o irmão pré-adolescente e uma amiga de infância. E luta consigo mesmo para revelar seus segredos.

O Ano de 1985: delicado e sem exageros, filme de Yen Tan aborda relações familiares durante a primeira onda da Aids | Cinema

É em preto e branco que testemunhamos a sutileza das atuações e a delicadeza com a qual um tema tão pesado é abordado aqui. Estamos diante de um drama absolutamente sensível e sem qualquer traço de exagero, mas repleto de verdade; o olhar de Yen Tan nos leva a pensar como tantas outras histórias semelhantes certamente ocorreram na época.

A ausência de cor é mais um reforço desse outro lado da década de 80, um lado mais obscuro, de medo e incertezas – as cores e vestimentas chamativas já pouco importam, e o pop e o rock icônicos ficam mais restritos aos fones de ouvido.

O Ano de 1985: delicado e sem exageros, filme de Yen Tan aborda relações familiares durante a primeira onda da Aids | Cinema

Lado a lado com os conflitos pessoais de Adrian, caminha a solidão. A dúvida de não saber com quem pode contar, e o deslocamento dentro da própria família. Uma família demasiado religiosa e preconceituosa, também vítima da hipocrisia e dos modelos impostos pelas instituições. Em uma espécie de decadência velada, seus membros guardam segredos uns dos outros e deliberadamente ignoram o que está diante da cara; gente que vive junta, mas que não se conhece realmente.

É imensamente triste – e bonita, apesar de oprimida – a maneira como Adrian tenta buscar uma reconexão com esses indivíduos que já não fazem parte da sua vida, mas a quem estima. A relação com o irmão mais novo é um dos aspectos mais especiais da trama. Conhecendo-se de verdade pela primeira vez, eles descobrem que têm mais em comum do que jamais teriam imaginado.

O Ano de 1985: delicado e sem exageros, filme de Yen Tan aborda relações familiares durante a primeira onda da Aids | Cinema

Se fosse resumir O Ano de 1985 em uma única palavra, seria esta: delicadeza. O filme consegue ser gentil até mesmo ao emocionar o espectador – as lágrimas nos rolam tímidas, silenciosas, quase sem se fazer perceber. Mas, ainda assim, não podemos evitar deixar a sala com um enorme aperto no coração.

TRAILER E INFOS




O Ano de 1985 (1985) – 85 min.
EUA | 2018
Direção: Yen Tan
Roteiro: Yen Tan e Hutch
Elenco: Cory Michael Smith, Virginia Madsen, Michael Chiklis, Jamie Chung, Aidan Langford, Ryan Piers Williams

Estreia: 25 de abril

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 9 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

Nenhum comentário

Siga @aline_tkm lá no Instagram!

Editoras Parceiras