A delicadeza [David Foenkinos] | Livro Lab
Últimos vídeos    |  Se inscreva no canal
Filme: Um Tio Quase Perfeito  Livros recebidos em abril  Resenha + Sorteio: Quer que eu desenhe? (vol.2)
Leituras de abril

A delicadeza [David Foenkinos]

À la française 17 de agosto de 2012 Aline T.K.M. 13 COMENTÁRIOS

Com a canção L’amour en fuite (O amor em fuga), de Alain Souchon, como fundo musical, Foenkinos constrói uma comédia sentimental saborosa.

Nathalie e François viviam o que se poderia chamar de um amor perfeito. Uma felicidade daquelas que despertam admiração dos que a observam e o medo de quem a vive. Depois de sete anos de casamento, a tragédia atravessa a rotina de Nathalie: François morre, deixando a jovem mergulhada numa dor quase insuportável. E a perdida Nathalie encontra-se, no caminho em busca por si mesma, com o não menos confuso Markus.

Nathalie, em um luto aparentemente eterno, é atraente e constantemente assediada pelo diretor da empresa. Markus é um sueco sem muitos atrativos físicos e com um histórico de insucessos amorosos que colaboram para a sua timidez e para a falta de jeito com o sexo oposto. No entanto, ele transmite certa calmaria e possui um senso de humor que se revela aos poucos em frases não muito habituais, mas certeiras. Contrariando todas as expectativas, é com ele e por ele que Nathalie enfrentará a dor da perda e tentará seguir em frente.


O beijo é muitas vezes o ponto de partida das mais diversas histórias de amor, sejam elas breves, eternas, bem-sucedidas ou não. Em A delicadeza, David Foenkinos colocou o beijo como a linha que separa a depressão e o recolhimento da protagonista de sua redescoberta dos assuntos do coração. E foi de maneira inusitada, e por isso mesmo, dotada de charme ímpar.

Com um beijo é que começa a história de Nathalie e Markus. Relacionamento de início desajeitado, manco até, e por isso mesmo hilário. Engana-se quem pensa que A delicadeza traz uma história de amor convencional. O livro não é daqueles para se roer de curiosidade e torcer para que mocinho e mocinha fiquem juntos no final. É um livro em que os protagonistas se descobrem – ao outro e a si mesmos – e o leitor acompanha esse caminho regalado por um texto com pitadas de humor. Esse humor aparece também através de “minicapítulos” que intercalam a narrativa, destinados simplesmente a entrar em algum detalhe sobre algo já mencionado e que, aparentemente, não tem importância na trama. Pequenas informações a título de curiosidade – os ingredientes necessários para preparar um risoto de aspargos, um pensamento de um filósofo polonês, ou o título de um quadro – que acabam por dar um brilho a mais no todo e realçar o humor na obra.

O ambiente de trabalho (ambos são parte da mesma equipe de trabalho em uma multinacional sueca) revela as “pequenas” podridões contidas no jogo das normas sociais. Os comentários que nunca cessam, as relações empobrecidas e superficiais, e a necessidade de invadir o outro por nada saber fazer com o vazio dentro de si. Não haveria, a meu ver, melhor ambiente para fazer brotar algo – talvez a única coisa realmente viva e verdadeira lá dentro – entre os protagonistas. Ponto para o autor!

A delicadeza traz uma história charmosa. Seus personagens, também charmosos, são traçados com excelência pelo autor, e parecem ganhar vida própria em uma trama que navega pelas várias nuances da palavra "delicadeza"...

Curiosidade: o livro foi adaptado para o cinema pelo próprio David Foenkinos junto com seu irmão, Stéphane Foenkinos. O filme, intitulado A Delicadeza do Amor, é estrelado por Audrey Tautou e François Damiens e chegou às telas em 2011.

LI EM FRANCÊS
Li a obra em seu idioma de origem, o francês. Não é uma leitura difícil, mas recomendaria apenas aos que já possuem um nível mais avançado da língua; diria que requer uma importante compreensão gramatical.

Recorri ao dicionário algumas vezes, ainda que o vocabulário e as expressões que desconhecia não chegassem a impedir o entendimento pelo contexto – tanto que lia tranquilamente na rua, sem ter um dicionário a tiracolo. Ótimo para quem já fala francês e quer praticar um pouco mais.

E sim, é a Audrey Tautou na capa (em uma das cenas do filme), o que deixou o livro ainda mais irresistível, não?

Edição lida: LA DÉLICATESSE de David Foenkinos, Éditions Gallimard, Collection Folio nº 5177.

Título: A delicadeza
Título original: La délicatesse
Autor(a): David Foenkinos
Editora: Rocco
Edição: 2011
Ano da obra: 2009
Páginas: 192

Aline T.K.M.
Criou o Livro Lab há 7 anos e blogar é uma das coisas que mais ama fazer, além do teatro, da dança e dos mais variados tipos de expressões artísticas. Tem paixão por viajar e conhecer outras culturas. Ah, e ama ler em francês!

 

Você também vai  

13 COMENTÁRIOS

  1. Oi Aline!

    Não conhecia nenhum desses dois livros..

    Bom FDS!
    Beijos :D
    Ensaios de uma Leitura

    ResponderExcluir
  2. Uouuuu, francês... invejinha boa aqui, queria saber o mínimo de francês, rsrs. Ooolha, sinceramente eu gostei da resenha e da proposta do livro, achei tudo bem leve, calmo... delicado. Apesar de ter seus dramas acho que as pitadas de comédia quebram um pouco a tristeza e deixa as coisas um pouco menos melancólicas.
    O livro me pareceu muito bom.
    Ótima resenha.
    Dá uma passadinha lá no blog?
    Beijos.
    Caroline.
    http://comaliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. A Diva Audrey na capa ficou lindo.
    Não li o livro em questão, mas assisti o filme é ótimo, sou suspeita em falar, pois adoro Audrey!

    " Engana-se quem pensa que A delicadeza traz uma história de amor convencional." Gostei desse teu ponto de vista, o filme conseguiu passar isso muito bem!

    ResponderExcluir
  4. Estou louca para ler este livro deste que vi o trailer do filme (que ainda não consegui ver), mas a história parece ser tão envolvente e bonita.
    Gostei bastante da sua resenha!

    beeijos,
    Jéssica

    ResponderExcluir
  5. Faltou comentar sobre o filme. A sinopse não me conquistou, mas parece ser algo leve pra assistir no fim de semana com o namorado... :)

    Beijos,
    Nats.
    http://www.vireapagina.com

    ResponderExcluir
  6. A Rocco tem uns livros como esse, dos quais eu nunca ouvi falar rs
    Mas gostei da resenha e achei a sinopse bacana, já simpatizei de cara com o Markus rsrs
    Já vi o cartaz do filme várias vezes, como não sei se um dia irei ler o livro, acho que vou aproveitar e assistir logo a adaptação :)

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com

    ResponderExcluir
  7. To começando a curtir livros franceses agora. Depois do Martin Page. Fiquei curiosa com esse, vou dá uma olhada.

    BeijO!

    ResponderExcluir
  8. Este livro parece ser bastante singular e com um enredo que confesso não ter encontrado anteriormente. Não conhecia o livro.

    Na sua resenha, você deixou transparecer que o livro é também delicado como a história do casal.

    www.amorporclassico.com

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia o livro, mas tenho a impressão de que já vi o filme num site de downloads. rs Amo a Audrey, não leria ele em francês, por que né, mal sei algumas palavras em inglês :/// ahsuahsu'

    Beijos!
    Meu outro lado

    ResponderExcluir
  10. @Nat�lia Pacheco e @Kel Costa
    Meninas, recomendo muito o filme! Vale a pena assistir! (Acho que não está mais em cartaz, mas acho que logo mais deve ter p/ alugar na 2001...)

    Natália, é, eu não falei nada sobre o filme aqui no post. Mas ele é bem parecido com o livro (o livro tem mais detalhes, claro). Olha, sou suspeita p/ falar porque adoro cinema francês, mesmo os filmes mais leves. No caso deste, a história é bonita e o humor não é aquele já batido, meio "típico" de comédia romântica americana (nada contra, mas prefiro as francesas ^^ ).

    ResponderExcluir
  11. @Lorena Rocco
    Martin Page é simplesmente genial! E ainda vai rolar bastante review dele aqui no blog, tenho alguns livrinhos me esperando na fila hehehe.
    O autor deste, David Foenkinos, me agradou bastante. Foi a primeira obra que li dele, mas tenho mais uma para ler.
    E ainda vai rolar um review de um outro livro francês, trata-se do "L'amour dure 3 ans" ("O amor dura 3 anos"), de Frédéric Beigbeder, que também teve adaptação para o cinema (bem legal, por sinal).

    ResponderExcluir
  12. Que lindo! A capa de "A delicadeza" é tão bonita - embora pareça um pouco de auto ajuda!
    Não conhecia, obrigada pela dica =)

    ResponderExcluir
  13. Eu baixei o filme para assistir, mas quero ler o livro. Será que dou conta de lê-lo em francês?!?! ^^
    Acho que vou tentar rss

    ResponderExcluir

Segue @aline_tkm lá no Instagram!

Parceiros